Match Point

Mourinho e Abel no topo do futebol

Às terças e sextas o futebol marca presença maioritária no Match Point, mas o Desporto em geral terá sempre aqui o seu espaço. Na escrita de José Manuel Freitas.

São muitos os treinadores de futebol portugueses com passado no estrangeiro, um percurso iniciado no final da década de 60 por Severiano Correia, no futebol grego. A partir daí têm sido muitos os técnicos que têm espalhado classe e ensinamentos pelas mais díspares latitudes, trabalho muitas vezes marcado pelo êxito e quando se lê êxito… falamos de conquistas. Nesse plano, o mais laureado, ombreando mesmo com muitos dos seus contemporâneos, é José Mourinho, que volta ao primeiro plano com a presença do clube que orienta, o Tottenham, na final da Taça da Liga Inglesa, 30.ª discussão da sua brilhante carreira, mas também merece aqui forte referência Abel Ferreira, que no Brasil, no Palmeiras, vai criando condições para se tornar no sucessor de Jorge Jesus, que tanto furor fez com as cores do Flamengo.

José Mourinho está no estrangeiro desde a temporada 2004/05, caminho iniciado com as cores do Chelsea poucos dias depois de ter conquistado a Liga dos Campeões pelo FC Porto, a primeira de duas que fazem parte da sua vitrina de troféus – a segunda aconteceu ao serviço dos italianos do Inter. A caminho do jogo 1000 enquanto treinador principal (foi adjunto de sucesso de Bobby Robson e Louis Van Gaal) – soma 972 tendo vencido 622 -, o para sempre reconhecido “special one” chega à 30.ª final da sua carreira, a 5.ª da Taça da Liga (venceu as quatro anteriores), ele que no tal soma 25 títulos da mais variada ordem, desde a Champions à Supertaça Cândido de Oliveira. Correndo tudo bem, numa data memorável para Portugal, 25 de Abril, em Wembley, pode somar mais um triunfo para juntar a um currículo invejável, mesmo com o Tottenham a enfrentar um rival poderoso, Manchester City, orientado por um técnico com quem tem travado duras batalhas: Pep Guardiola.

HÁ VIDA DEPOIS DE JJ

Abel Ferreira tem, ainda, carreira curta. Começou no Sporting B, passou pelo Sp. Braga B e A, e mostrou serviço nos gregos do PAOK. De tal maneira que, pouco tempo depois de eliminar o Benfica da possibilidade de chegar à LC, despertou a cobiça de um grande clube brasileiro, Palmeiras, ciente de que o jovem técnico podia fazer no “Verdão” o mesmo que Jorge Jesus conseguiu no Flamengo. Passados dois meses – o primeiro jogo pelo clube de São Paulo aconteceu a 5 de novembro, na Copa do Brasil, frente ao Bragantino – tem provado que há vida para lá de JJ.

Realmente, mesmo com os problemas que encontrou – houve um período em que teve 19 futebolistas infetados com Covid19 -, o ex-treinador do Sp. Braga meteu pés ao caminho e pode entrar na história do futebol brasileiro e sul-americano, pois o Palmeiras ao ter vencido no terreno do River Plate (3-0), na primeira mão da meia-final ficou a um curto passo de discutir a Libertadores que JJ conquistou – o Santos, depois de empatar no terreno do Boca Juniors, pode ser o outro finalista – e já garantiu a presença na final da Copa do Brasil, onde encontrará o Grémio. O vencedor desta competição garante desde logo a presença na próxima Libertadores. Quanto ao Brasileirão a situação não é famosa – 6.º da tabela a 12 pontos do líder, São Paulo -, mas as competições citadas confirmam que Abel Ferreira, a exemplo de tantos outros treinadores, mantém bem viva a tão famosa escola lusa.

CHEGA LUCAS VERÍSSIMO, SAI FERRO

Do Brasil chegará em breve ao futebol português o tão badalado Lucas Veríssimo, defesa central de há muito pretendido pelo treinador do Benfica, Jorge Jesus, embora essa data ainda não esteja acertada, precisamente por “culpa” das Libertadores. Já referimos que o Santos, clube ao qual ainda está ligado o futebolista, está em boa posição para atingir a decisão da competição, jogo que terá lugar no Maracanã, no Rio de Janeiro, a… 30 de janeiro.

O jovem defesa central, presume-se, quando chegar aos encarnados deverá assumir rapidamente a titularidade, tão importante parece ser para o treinador. Enquanto um está a chegar, outro está prestes a sair: Ferro. O jovem português, elemento fundamental na conquista do último título por parte dos benfiquistas, vai ser emprestado aos espanhóis do Valência e até pode muito bem acontecer, se tudo lhe correr bem, que possa deixar o Benfica em definitivo no termo do empréstimo.

DE LUTO POR ALEX APOLINÁRIO

Infelizmente, nem tudo são boas notícias no futebol português, uma vez que não resistiu ao problema de saúde de que foi acometido no decurso do Alverca-União de Almeirim, o futebolista brasileiro do primeiro destes emblemas, Alex Apolinário, que estava no clube desde 2018/19, depois de ter representado Cruzeiro e Atlético Paranaense.

Alex Apolinário tinha 24 anos e deixa dois filhos menores. Que o futebol e a sociedade sejam capazes de ajudar esta família a resolver as dificuldades com que, provavelmente, terá de se deparar.

► A PÁGINA DO MATCH POINT