Match Point

10 jornadas que valem um título

Às terças e sextas o futebol marca presença maioritária no Match Point, mas o Desporto em geral terá sempre aqui o seu espaço. Na escrita de José Manuel Freitas.

Vai começar o tudo ou nada pela conquista do título de campeão de futebol em Portugal. Sem interrupções, depois das triplas jornadas das principais seleções nacionais, a partir da noite de hoje, na Choupana (Nacional-Portimonense), até 19 de maio, data em que termina a Liga, serão 10 jornadas “sempre a abrir” em que se joga tudo e mais alguma coisa. É que para além do objetivo principal, o título, estão em causa mais uma série de decisões: o outro lugar que dá entrada direta na Liga dos Campeões, a posição de acesso à pré-eliminatória da competição, o antepenúltimo lugar que vale a continuidade, ou não, no escalão principal e os dois lugares que relegam dois emblemas para o escalão inferior.

Dizer-se que o Sporting está em vantagem no que diz respeito à primeira posição não é novidade, mas nada está decidido, longe disso. A liderança é ornamentada por 10 pontos à maior em relação aos portistas, mas ainda falta muita coisa, a começar por alguns jogos complicados, como sejam as deslocações a Braga e à Luz. Mas desse mal também se queixam os principais rivais, FC Porto e Benfica, que se encontram no recinto encarnado no início de maio. E até o Sporting bracarense não está de todo arredado de um lugar Na Liga milionária, embora seja quem está em pior situação após o desaire frente aos encarnados.

Paralelamente, a questão física vai estar muito em causa e neste particular o detentor do título é quem se encontra em pior situação… mas não se pode ter tudo. E estar ainda na Champions é uma sensação ótima. O FC Porto, aliás, é a única equipa que este mês realiza sete jogos, mas ter tudo para poder afastar da prova o Chelsea é uma motivação extraordinária. Portanto, e uma vez que portistas e benfiquistas estão afastados apenas três pontos na tabela e que em caso de triunfo (não havendo alterações) a vantagem é lisboeta, vamos ter festa até muito tarde. Ainda bem. Porque serão 10 ronda excitantes, com muita, mas mesmo muita coisa em discussão. E quando se olha para o fundo da tabela e vemos equipas como Boavista, Nacional e Marítimo a lutarem pela sobrevivência…

SUB-21 CANDIDATOS AO TÍTULO? OBVIAMENTE!

Enquanto a seleção principal de Portugal, detentora do título europeu de 2016, que defende no verão, regressou a casa com 7 pontos na bagagem – deviam ter sido 9, mas ao ser espoliado do golo do triunfo em Belgrado não foi possível, o jogo em que o capitão não recolheu unanimidade nacional com a história da braçadeira -, o conjunto de sub-21 foi implacável na fase de grupos do Europeu, somando três vitórias nos três jogos: Croácia (1-0), Inglaterra (2-0) e Suíça (3-0), garantindo a presença nos quartos de final, em Ljubliana, frente à Itália, a 31 de maio, e assumindo algum favoritismo no que diz respeito à conquista do título, com base nas prestações de agora.

Além da formação de Rui Jorge, somente a Dinamarca somou por vitórias os jogos disputados, o que diz bem da qualidade da equipa lusa, que em caso de vitória frente aos italianos encontrará na meia-final o vencedor do Croácia-EspanhaTrincão (Barcelona) telefonou a Abel Ruiz (espanhol do Sp. Braga) a marcar encontro na final, mas a acontecer… será antes. Caso chegue à final, será a terceira vez na sua história que Portugal atinge o jogo capital. Nas anteriores finais, os portugueses foram suplantados por Itália e Suécia, tendo o jogo decisivo lugar a 6 de junho, no mesmo lugar onde têm lugar os quartos de final.

PORTUGAL NOS JO, FC PORTO NA CHAMPIONS

Dinamarca, campeã mundial em título conquistado recentemente no Egito, e Suécia, seleção classificada em segundo lugar na competição, integram o grupo de Portugal (B) na primeira fase dos Jogos Olímpicos de Tóquio, onde também estarão Japão, Egito e Bahrain, com a primeira fase a ter lugar entre 24 de julho e 1 de agosto, passando à fase que dão acesso às medalhas os quatro primeiros classificados, jogos a terem lugar 3, 5 e 7 – no Grupo A vão discutir o apuramento Noruega, França, Alemanha, Espanha, Argentina e Brasil.

Independentemente do quadro de dificuldade que se coloca aos “Heróis do Mar”, Paulo Jorge Pereira, selecionador nacional, já deixou bem claro quais são os objetivos da equipa que lidera: garantir um lugar entre os quatro que garantem a passagem aos quartos de final, para depois o grupo pode lutar por uma medalha. Estará o responsável a ser demasiado otimista? Tendo em conta a qualidade dos andebolistas e aquilo que têm produzido nos últimos anos, porque não embarcar na mesma carruagem do selecionador? Sim, estando todos nas melhores condições físicas – Gilberto Duarte, Alexis Borges, Humberto Gomes e João Ferraz, por se encontrarem lesionados, não estiveram no pré-olímpico, em França -, Portugal pode sonhar com tudo!

Já ao nível de clubes, o FC Porto começou a vencer os quartos de final da Liga dos Campeões, derrotando os dinamarqueses do Aalborg, por 32-29, vantagem razoável para o segundo jogo, no dia 7, na Dinamarca. Dizer que nesta fase da competição apenas está a elite, casos de Kiel, PSG ou Barcelona, mas é quase certo que o detentor do título, Vardar (Macedónia), vai ficar pelo caminho, uma vez que foi esmagado em casa pelos húngaros do Veszprem (41-27), a quem havia ganho a última Champions.

MIGUEL OLIVEIRA “REGRESSA” AO CATAR

Segundo fim de semana de Moto GP, segunda corrida no circuito de Losail, este domingo, agora denominada de Grande Prémio de Doha, onde Miguel Oliveira vai procurar melhor o 13.º lugar obtido na corrida inaugural da competição, no último domingo, depois de não ter conseguido melhor do que a 15.ª posição na grelha, onde lamentou os problemas encontrados nos pneus.

Quem não passou por essas dificuldades foi Maverick Viñales, subindo ao lugar mais alto do pódio, onde teve a companhia de Johann Zarco (2.º) e Francesco Bagnaia (3.º), enquanto o campeão mundial em título, Joan Mir, teve de se contentar com a 4.ª posição. A corrida em terreno catari antecede a que vai ter lugar em Portugal (18 de abril), em Portimão, circuito onde na temporada passada o piloto de Almada obteve a sua primeira vitória na especialidade. Para repetir? O falcão continua muito cauteloso, mas é bem provável que a sua prestação seja muito próxima daquilo a que nos habituou.

► A PÁGINA DO MATCH POINT