Match Point

Regressa Rúben, salta Sérgio

Às terças e sextas o futebol marca presença maioritária no Match Point, mas o Desporto em geral terá sempre aqui o seu espaço. Na opinião escrita de José Manuel Freitas.

Rúben Amorim, treinador de um Sporting cada vez mais perto de concretizar o sonho que lhe foge há 19 anos, realidade aumentada depois da épica vitória em Braga e do empate portista em Moreira de Cónegos, regressa ao banco dos leões na noite deste sábado, em Alvalade (já com muitas cadeiras verdes, novinhas em folha), na receção ao muito “condenado” Nacional, cumprido que está o quarto castigo desta temporada; já esta sexta-feira, no confronto com o Famalicão, o treinador do FC Porto, Sérgio Conceição, estará, mais uma vez, impedido de liderar diretamente a sua equipa, pois foi expulso, também pela quarta ocasião, no final do desafio com o Moreirense.

Como entender, então, o que se passa com os treinadores das duas equipas que, pela classificação, parecem ser as únicas capazes de lutar pelo título? – uma vez que ainda faltam cinco jornadas e os leões só dispõem de seis pontos de vantagem, no plano matemático a situação só pode ser encarada dessa forma. Reconhecendo-se que em muitos jogos o banco de suplentes deve ser observado como se, passe a expressão, de uma cadeira elétrica se tratasse, não é fácil aceitar a dificuldade que ambos têm evidenciado com a pressão que aumenta com o aproximar do final da competição.

É evidente que as reações surgem sempre na sequência – na maior parte das vezes com razão da parte dos técnicos – de péssimas decisões arbitrais, como aconteceu, agora, em Moreira de Cónegos (no rescaldo dos acontecimentos, em que foi agredido o repórter de imagem Francisco Ferreira, da TVI, o agressor, Pedro Pinho, está, espera toda a gente, em maus lençóis, pois corre o risco de ser banido, oficialmente da atividade de empresário de futebol, e o presidente do FC Porto, Pinto da Costa, não podia ter ficado pior neste “filme” com a entrevista concedida ao Porto Canal), mas, mesmo assim, por força da mensagem que transmitem aos adeptos, exigia-se mais cabeça fria às duas figuras. Sim, não é fácil, mas quando comparada com outra atividade, o futebol é, para alguns, o paraíso. E daí, merece reparo altamente positivo o posicionamento de Jorge Jesus, quando confrontado com as situações que marcam mais o jogo do que o próprio jogo.

Quanto a este, propriamente dito, cumpre-se nas próximas horas mais uma ronda e embora se saiba que têm havido por aí algumas surpresas, não é de crer que na frente da tabela, no que aos três primeiros classificados diz respeito, aconteça algo de anormal. E mesmo que não aconteça, as quatro derradeiras ronda serão altamente emocionantes, até porque o decisivo Benfica-FC Porto está aí mesmo à porta.

BRUNO FERNANDES CONTINUA IMPARÁVEL

Se na Liga dos Campeões as duas equipas inglesas presentes nas meias finais deram passos de gigante rumo à final – o Chelsea empatou a um golo na casa do Real Madrid, o Manchester City (com Rúben Dias, João Cancelo e Bernardo Silva titulares) venceu, em Paris, o PSG – e podem confirmar a presença no jogo decisivo na próxima semana, na Liga Europa as honras vão todas para o Manchester United que, liderado por Bruno Fernandes, esmagou a Roma, treinada por Paulo Fonseca, por 6-2.

O médio português, seguramente a principal figura do clube onde CR7 também foi muito feliz, apontou dois golos e foi o guia da equipa na reviravolta demolidora acontecida no marcador, uma vez que os intervalo os italianos estavam em vantagem, por 2-1. Com este desfecho, a equipa inglesa está praticamente apurada para a final, pois não se prevê que os romanos sejam capazes de inverter a situação na próxima quinta-feira. Quanto ao outro finalista, os espanhóis do Villarreal bateram o Arsenal, por 2-1, o que deixa tudo em aberto para o segundo jogo, igualmente no mesmo dia.

ANDEBOL NO EUROPEU, FUTSAL NA CHAMPIONS

Mais um feito conseguido pela seleção nacional de andebol, os nossos Heróis do Mar: ao derrotar Israel, em Telavive, por expressivos 41-29, nos regressos de Humberto Gomes e Gilberto Duarte, e com Diogo Branquinho a apontar 9 golos, Portugal garantiu a entrada na fase final do Campeonato da Europa de 2022, dando sequência aos últimos grandes desempenhos, dos quais se destacam o apuramento para os Jogos Olímpicos. Beneficiando do desaire da Islândia na Lituânia (27-29) – adversário com quem os portugueses encerram esta fase de grupos, no domingo, em Matosinhos -, Portugal lidera a classificação e se aí terminar será, certamente, beneficiado no sorteio da fase final do Euro, que terá lugar na Hungria e Eslováquia.

Também no futsal, este fim de semana, pode haver boas notícias para o nosso país, uma vez que o Sporting, já vencedor por uma vez da competição e emblema com mais vitórias a nível nacional na modalidade, garantiu a presença nas meias-finais da Liga dos Campeões, depois de bater os russos do KPRF, por 3-2, em Zadar, na Croácia, enfrentando este sábado os espanhóis do Inter Movistar, formação dominadora da competição, com cinco triunfos. A outra meia-final será entre o Barcelona, outro dos favoritos ao triunfo, e os cazaques do Kayrat Almaty, que afastou o Benfica (6-2), após prolongamento. A final terá lugar este domingo.

FALCÃO SONHA VOAR EM JEREZ

A época de Moto GP não tem corrido nada bem, três corridas concluídas, a Miguel Oliveira, o falcão português, de quem os amantes da modalidade tanto esperam, até poder conquistar o Mundial. A questão é que, para já, os resultados têm sido… desanimadores: 13.º no Catar, 15.º em Doha e 16.º e último, após quedas no treino e na corrida, em Portugal. Porém, revelação do piloto luso, a sua disposição para este fim de semana não podia ser melhor.

A prova do fim de semana, o GP de Espanha, tem lugar no famoso circuito de Jerez Angel Nieto, local onde no início da carreira, ainda a competir no campeonato espanhol, o piloto de Almada obteve a primeira vitória da sua já muito completa carreira. Nesse sentido, e mesmo não podendo contar com o apoio presencial da sua considerável falange de apoio, o homem da KTM está convencido de que as coisas vão entrar nos eixos e que estarão para breve os bons resultados. Que assim seja, é aquilo que se espera.

HAMILTON PROCURA 100.ª “POLE”

Regressou a azafama ao Autódromo de Portimão, desde a manhã desta sexta-feira, uma vez que, a exemplo da temporada passada, ali se realiza, até domingo, desta vez sem a presença de adeptos, mais uma edição do Grande Prémio de Fórmula 1, ainda numa fase muito embrionária da época, pois esta será apenas a terceira corrida do campeonato, liderado pelo campeoníssimo Lewis Hamilton, mas apenas com um ponto de vantagem sobre Max Verstappen (44-43), uma vez que o inglês venceu a prova inaugural, no Bahrain, e o holandês na Emilia Romagna, confirmando-se aquilo que os especialistas têm defendido: que vai ser acesa a luta pelo título deste ano entre os dois pilotos.

Para já, a primeira sessão de treinos foi dominada por Valteri Bottas, da Mercedes, como Hamilton, mas o inglês surge como favorito num circuito que lhe é caro: o ano passado somou em Portugal a 92.ª vitória da carreira, batendo os 91 triunfos do mítico Michael Schumacher, e este sábado, na qualificação, pode atingir outro número histórico, pois tem à sua disposição a possibilidade de obter a 100.ª “pole position”, número nunca atingido por nenhum outro piloto. Portanto, Sir Lewis pode ter, novamente, aquele fim de semana.

► A PÁGINA DO MATCH POINT

  • 2:55