Match Point

A uma vitória da felicidade!

Opinião

Às terças e sextas o futebol marca presença maioritária no Match Point, mas o Desporto em geral terá sempre aqui o seu espaço. Na opinião escrita de José Manuel Freitas.

De candidato menos cotado, na comparação direta com os habituais rivais, que investiram muito mais (particularmente o seu vizinho de Lisboa, que gastou como nunca), à condição de principal favorito, realidade sustentada por uma campanha competente, metódica e muito pragmática, na atitude e no discurso, que lhe chegou a proporcionar 10 pontos de vantagem. Foi este, assim, o percurso do Sporting de Rúben Amorim na Liga, líder de uma equipa em tudo diferente do que se conhecia, particularmente no modo de jogar, que lhe permite estar a uma escassa vitória – ou dois empates - de proporcionar o regresso da felicidade a uma imensa legião de indefetíveis, que não vai ao Marquês de Pombal há 19 longos anos.

Os números deste Sporting, que pode conquistar o 19.º título da sua história na noite da próxima terça-feira, quando receber em Alvalade o muito aflito Boavista – o jogo de logo dos axadrezados, frente ao Tondela, é crucial para olhar o futuro com um pouco mais de tranquilidade -, e entrar na Luz já campeão, são… impressionantes. Para começar, continua invicto, com as suas 24 vitórias e 7 empates, tornando-se na primeira equipa em Portugal, num campeonato com 34 jornadas a estar nesta posição, tendo batido os máximos do Benfica de Hagan e de Mortimore, e do FC Porto de Villas-Boas e de Vítor Pereira, que conseguiram 30 jogos sem perder… em 30 jornadas.

Mas há mais. Este leão é aquele que sofre menos golos: apenas 15 – os mais próximos são Benfica (22), FC Porto e Belenenses, SAD (ambos com 28); só não marcou num jogo: no Dragão, onde aconteceu um nulo; nos 31 jogos até agora realizados, esta equipa não sofreu golos em 19 (!!!), obra de Adán (18) e Maximiano (1); até agora foram utilizados 28 futebolistas – o capitão Coates e o “keeper” espanhol lideram o grupo, com 30 presenças -, entre eles Wendel, que já se sagrou campeão na Rússia, pelo Zenit, Vietto, que atualmente representa os sauditas do Al Hilal, Borja e Sporar, que se mudaram para Braga. Finalmente, Pedro Gonçalves, ou Pote, é um dos melhores marcadores da Liga, com 18 golos, os mesmos do benfiquista Seferovic, que lidera a tabela… por ter jogado menos um desafio.

Mas, o Sporting está mais perto de ser campeão do que nunca porquê? Por na jornada que só esta noite termina, ter triunfado de forma categórica em Vila do Conde – um dos desempenhos mais conseguidos na época, que merecia resultado mais dilatado e foi pontuado por um espetacular golo de Paulinho, o segundo desde que está em Alvalade – e ter visto Benfica e FC Porto empatarem no clássico do Estádio da Luz. E não fora o belo disparo de Uribe, a 15 minutos do final, ou o golo bem invalidado a Pizzi, já no tempo de compensação, e o leão estaria escasso empate da consagração.

FC PORTO SEGURA SEGUNDO LUGAR

O jogo da Luz seria, dando continuidade ao que tem acontecido nos últimos 20 anos, um daqueles em que estaria em discussão o título, desta vez foi apenas um confronto que tinha a Champions por objetivo. Tendo em conta os milhões que proporciona… Sendo a última oportunidade do Benfica para encurtar distâncias para o segundo posto e chegar de forma direta à Liga milionária, bem se pode dizer que as coisas correram muito melhor aos dragões.

E quando Uribe, a 15 minutos do final, obteve o golo que acabou por garantir à equipa de Sérgio Conceição manter os quatro pontos de vantagem para o adversário, nem foi assim tão surpreendente, porque os portistas – apesar de Jorge Jesus ter defendido o contrário – foram bastante melhores na procura do resultado que lhes interessava. E sendo verdade que nos derradeiros minutos aconteceram situações de jogo que podiam ter feito pender a vitória para cada qualquer um dos lados – sim, os encarnados estiveram mais perto de vencer, mas… -, o desfecho acaba por se aceitar e desfecha as posições dos dois grades emblemas praticamente definidas: portistas a ocuparem a segunda vaga direta na LC, benfiquistas a regressaram à pré-eliminatória da competição.

INGLESES DOMINAM COMPETIÇÕES EUROPEIAS

Entretanto, foram encontrados os finalistas das duas competições europeias de clubes, decisões muito marcadas pelo apuramento em maioria das equipas inglesas, que só não fizeram o pleno devido à intromissão dos espanhóis do Villarreal. Na Liga dos Campeões, a decisão em Istambul contará com a presença dos “milionários” Manchester City, que voltou a bater o PSG (2-0), com Rúben Dias a ser eleito o homem do jogo – João Cancelo, Bernardo Silva e Ederson, que também jogou em Portugal, também estão na luta pelo título -, e Chelsea, que bateu, também por 2-0, o muito titulado Real Madrid. Curiosamente, as duas equipas defrontaram o FC Porto na fase de grupos e quartos de final, respetivamente.

Na Liga Europa, que terá o último jogo na Polónia, em Gdansk, o Manchester United, onde pontifica Bruno Fernandes – perderam com a Roma no segundo jogo, mas o caminho da final estava escancarado, depois do 6-2 em Old Trafford – defrontará, o Villarreal, que resistiu em Londres, frente ao Arsenal. Depois do 2-1 em Espanha, o nulo foi suficiente para garantir a decisão, com a curiosidade de quem orienta os espanhóis, Unai Emery, ter sido o anterior técnico dos londrinos. Há coisas assim no futebol…