Orçamento do Estado

Governo agrava estimativas de queda para as importações e exportações

STEVEN GOVERNO

Números apresentados pelo ministério de João Leão contrastam com os apresentados pelo Banco de Portugal.

O Governo agravou as estimativas de queda para as importações e exportações em 2020 (22% e 17,9%, respetivamente) mas aumentou as previsões de crescimento para 2021, de acordo com o relatório da proposta de Orçamento do Estado.

Segundo os números conhecidos na segunda-feira, as exportações de bens e serviços devem recuar 22% em 2020, recuando as importações 17,9% este ano, uma revisão em baixa dos números apresentados no Orçamento Suplementar para 2020, em junho.

À data, o Governo apontava para uma quebra nas exportações de 15,4% e de 11,4% nas importações.

Já para 2021, o Ministério das Finanças fez hoje uma previsão de um crescimento de 10,9% das exportações e de 7,2% das importações, uma revisão em alta face aos 8,4% previsto em junho para as exportações e de 7,0% para as importações.

Os números apresentados pelo ministério de João Leão contrastam ainda com os apresentados na semana passada pelo Banco de Portugal, liderado pelo ex-ministro das Finanças Mário Centeno.

Na terça-feira, o Banco de Portugal apontou para uma quebra das exportações de 19,5% em 2020, apontando para menos 12,4% de importações face a 2019.

Os números do Conselho das Finanças Públicas (CFP) aproximam-se dos do ministério de João Leão relativamente à estimativa para a quebra nas exportações (-22,5%) e nas importações (-17,5%) este ano.

Para 2021, o CFP espera um crescimento de 7,5% nas exportações e de 9,3% nas importações.

Já a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) estimou, em junho, uma queda das exportações em 2020 na ordem dos 15,5% e das importações nos 13,3%.

Para o próximo ano, a OCDE aposta numa recuperação de 8,2 das exportações e de 8,6% das importações.

  • Covid-19. Conselho de Ministros anuncia hoje novas medidas

    Coronavírus

    Portugal resgista este sábado um novo máximo de internados em cuidados intensivos. O Conselho de Ministros está reunido e vai decretar "ações imediatas" de controlo da pandemia. O recolher obrigatório é uma das propostas do Governo. Os EUA continuam a ser o país mais afetado pela Covid-19. No Mundo há registo de mais de 45 milhões de infetados e 1,1 milhões de mortes.

    Ao Minuto

    SIC Notícias