Orçamento do Estado

OE 2021. PCP admite qualquer sentido de voto, mas não admite "chantagens e pressões"

Reação do PCP ao Orçamento do Estado para 2021 e às declarações do ministro das Finanças, João Leão.

O deputado João Oliveira do PCP não revelou o sentido de voto do partido em relação à proposta de Orçamento do Estado para 2021, entregue ontem pelo Governo na Assembleia da República.

Para o PCP seria importante ter respostas mais amplas no que diz respeito à valorização salarial, aos direitos dos trabalhadores, à valorização da contratação coletiva, ao reforço dos serviços públicos, ao aumento das pensões, entre outras propostas, que deixou ao Executivo de António Costa.

Em reação ao documento, admite que algumas destas medidas figuram na proposta do Governo, mas de forma "muito parcial" e que chega a limitar as propostas do Partido Comunista.

Nos próximos dias, o PCP vai aprofundar a análise, deixando em aberto qualquer sentido de voto e recusando qualquer tipo de chantagem e pressão para viabilizar a proposta do Governo.