Papa e a tensão na Igreja

Papa Francisco entre o escândalo dos abusos sexuais, a oposição interna, as reformas, o clericalismo e a desclericalização

A SIC Notícias publica a partir deste domingo, dia 23 de setembro, cinco reflexões de Joaquim Franco, jornalista da SIC e investigador em Ciência das Religiões, que acompanhou os conclaves de 2005 e 2013, conhece de perto e descodifica a vida da Igreja católica.

Entre a interpretação e a opinião, estas reflexões têm como pano de fundo o escândalo dos abusos sexuais de menores por parte de membros do clero e a tentativa de fragilizar o Papa por parte de sensibilidades eclesiásticas mais conservadoras.

Max Rossi

Sobre o escândalo dos abusos sexuais de menores, Francisco reafirma o princípio da «tolerância zero», diz-se envergonhado e alega que são a "consequência do abuso de poder e de consciência" por parte do clero. Não basta "virar a página", é necessário "voltar a dar vida às pessoas", aponta o Papa criticando com dureza o "clericalismo".

Tony Gentile

Apesar da polémica das últimas semanas, os casos de abusos registados na Igreja diminuiram de forma acentuada nos últimos 15 anos em consequência das medidas de resposta elaboradas pela Santa Sé. Mas o escândalo da pedofilia na Igreja mantém-se como vulcão mediático que não adormece, revelando ainda incoerências e hesitações do episcopado.

Gonzalo Fuentes

Esta nova crise vem bloquear o pontificado ou pode transformar-se numa oportunidade para a Igreja católica concretizar reformas, dando seguimento a expectativas criadas com a eleição de Jorge Mario Bergoglio?

As cinco reflexões a publicar ao longo da semana ensaiam uma resposta e fazem um balanço dos cinco anos e meio do pontificado de Francisco. Com notas e referências documentais, têm como título "Papa Francisco – entre a vulnerabilidade de um abalo e a oportunidade de uma reforma".