Plástico nosso de cada dia

10 mil fragmentos de plástico por metro quadrado

10 mil fragmentos de plástico por metro quadrado

Porto Pim é a que apresenta uma maior concentração de microplásticos.

Se olharmos com atenção entre a areia escura da praia de Porto Pim, na ilha do Faial, nos Açores, há pequenos fragmentos de várias cores. Alguns parecem minúsculas pedrinhas roladas, outros assemelham-se a pedaços de conchas coloridas. Mas não são produto da erosão de rochas ou organismos marinhos. São microplásticos trazidos pelas correntes e depositados na praia.

Resultado da fragmentação de embalagens e outros resíduos de plástico que foram parar ao mar, ou pellets, matéria-prima para a produção de plástico.

A praia é limpa todos os dias na época balnear mas retirar todo o microplástico é missão impossível. Yasmina Rodríguez, bióloga, monitoriza esta e outras praias das belas ilhas açorianas no âmbito do projeto LixAz, coordenado pelo investigador Christopher Pham.

Porto Pim é a que apresenta uma maior concentração de microplásticos.

  • No coração da Amazónia
    10:18