Protestos na Catalunha

Mais de 70 feridos no quinto dia de violência na Catalunha

Juan Medina

77 feridos, 17 detidos e muitos destroços.

O quinto dia de protestos na Catalunha, com vários episódios de violência entre manifestantes e autoridades, fez pelo menos 77 feridos. Houve ainda 17 detenções.

Cerca de 500 manifestantes radicais voltaram a atear incêndios, montaram barricadas e atiraram pedras e garrafas contra a polícia.

O Governo espanhol promete mão pesada contra os manifestantes violentos.

Desde segunda-feira, já foram detidas 129 pessoas e, entre os feridos, mais de 200 são polícias.

De acordo com a imprensa regional, manifestantes autodenominados de "antifascistas" lançaram pedras e garrafas de água cheias em direção da polícia, na Via Laietana, perto do local em que se realiza uma grande manifestação organizada pelos sindicatos independentistas.

Um dos agentes da autoridade terá sido atingido com gravidade e teve de receber cuidados médicos, tendo a polícia de choque feito já três cargas contra os jovens que entretanto incendiaram vários contentores de lixo que colocaram no meio da avenida.

O ministro do Interior em funções, Fernando Grande-Marlaska, revelou que 207 agentes das forças de segurança foram feridos nos distúrbios na Catalunha.

Os confrontos entre grupos radicais independentistas e a polícia começaram hoje antes do início da noite, mais cedo do que nos dias anteriores.

Mega manifestação

Dezenas de milhares de pessoas vindas de toda a Catalunha participam no centro de Barcelona numa grande manifestação convocada pelos sindicatos independentistas contra a condenação dos políticos envolvidos na tentativa separatista de 2017.

Esta concentração teve lugar no Passeio de Grácia, no centro de Barcelona, num dia de "greve geral" na Catalunha convocada por esses sindicatos, tendo contado com milhares de pessoas vindas a pé em seis "Marchas pela Liberdade" saídas na terça-feira de diferentes cidades da comunidade autónoma.

60 mil pessoas saíram às ruas Girona, polícia respondeu com balas de borracha

Em Girona, a cerca de 100 quilómetros de Barcelona, a polícia disparou balas de borracha aos manifestantes concentrados numa das praças no centro da cidade. A violência repete-se há vários dias seguidos, depois da condenação dos líderes catalães.

As imagens dos confrontos

Os independentistas consideram que os condenados pelo Tribunal Supremo são "presos políticos", enquanto os defensores da unidade de Espanha afirmam que se trata de "políticos presos".

Os movimentos de protesto começaram na segunda-feira, depois ser conhecida a sentença contra os principais políticos catalães responsáveis pela tentativa de independência em outubro de 2017.

Os juízes decidiram condenar nove deles a penas até 13 anos de prisão por delitos de sedição e peculato.

Depois do anúncio da sentença, os independentistas têm feito cortes de estradas e de vias de caminho-de-ferro um pouco por toda a Catalunha.

  • Reis de Espanha em visita polémica a Havana
    1:24

    Mundo

    Na justificação oficial, esta visita destina-se a estreitar os laços económicos e financeiros entre os dois países. Uma viagem polémica, tanto para espanhóis como para cubanos.