Revista do Ano 2014

Juiz Carlos Alexandre e Papa Francisco são as figuras de 2014

Durante os últimos dias de 2014, a SIC Notícias desafiou os telespectadores e internautas a elegerem as personalidades e os acontecimentos do ano. A votação está encerrada e os vencedores demarcam-se.

Carlos Alexandre, personalidade de 2014

Carlos Alexandre, personalidade de 2014

Lusa

Papa Francisco, personalidade de 2014 a nível internacional

Papa Francisco, personalidade de 2014 a nível internacional

© Alessandro Bianchi / Reuters

Detenção de José Sócrates, acontecimento do ano a nível nacional

Detenção de José Sócrates, acontecimento do ano a nível nacional

Francisco Seco

Expansão do Estado Islâmico, acontecimento de 2014

Expansão do Estado Islâmico, acontecimento de 2014

© STRINGER Iraq / Reuters

O juiz Carlos Alexandre foi a figura do ano a nível nacional, para 53% dos votantes. O juiz do Tribunal Central de Instrução Criminal, responsável por processos mediáticos como o Monte Branco, que envolve Ricardo Salgado, ou a operação Marquês, que levou à prisão preventiva de José Sócrates, destaca-se dos outros nomeados: Cristiano Ronaldo, em segundo lugar, não recolheu mais que 13% das preferências, seguido de António Costa, com 11%.


Também com 53% dos votos, a detenção do ex-primeiro-ministro José Sócrates foi o acontecimento que marcou o país em 2014. Seguem-se a queda do império Espírito Santo, com 24%, e a distinção do Cante Alentejano como Património Imaterial da Humanidade, com 9% das preferências.


A nível internacional, a grande maioria dos participantes na votação (59%) elegeu o Papa Francisco como a personalidade do ano. Muito mais atrás ficaram as equipas médicas envolvidas na luta contra o Ébola (18%) e Malala Yousafzai (6%).


A expansão do Estado Islâmico foi considerada o acontecimento de 2014 por 37% dos votantes. Não muito atrás na votação ficou o desaparecimento do voo MH370 da Malaysia Airlines (37%), seguido da epidemia de Ébola que assolou África (13%).


  • O planeta em que todos vivemos

    Futuro Hoje

    O Planeta Lourenço terá que ser ainda mais simples e eficaz na mensagem. É um risco. Frequentemente, quando me mostram aparelhos ou programas as coisas falham, é o que chamo de síndrome da demonstração. Mas isto acontece na vida real, é assim que vamos fazer.

    Opinião

    Lourenço Medeiros