Rumo ao Euro 2020

Dyego Sousa passa a ser o sétimo jogador naturalizado a representar Portugal

JOSÉ SENA GOULÃO

Jogador do SC Braga estreou-se pela seleção portuguesa.

Dyego Sousa tornou-se esta sexta-feira no sétimo jogador naturalizado a representar a seleção portuguesa de futebol, tendo feito a sua estreia frente à Ucrânia (0-0), no apuramento para o Euro2020, e sucedeu a jogadores como Deco, Pepe e Liedson.

No Estádio da Luz, o avançado do Sporting de Braga, de 29 anos, foi lançado pelo selecionador Fernando Santos aos 73 minutos, rendendo André Silva, e tentou marcar o golo da vitória de Portugal, mas sem sucesso.

Dyego Sousa ainda obrigou o guarda-redes Pyatov a duas defesas e, já nos descontos, tentou 'cavar' uma grande penalidade.

O avançado, que chegou a solo luso com apenas 18 anos, em 2007, para representar os juniores do Nacional, tem estado em destaque esta temporada no Sporting de Braga, na qual já leva 19 golos em todas as provas, 14 na I Liga.

Em Portugal, antes de ingressar nos minhotos, o jogador nascido em São Luís do Maranhão, no nordeste do Brasil, defendeu ainda as cores de Leixões, Tondela, Portimonense e Marítimo.

Uma década depois, a seleção portuguesa voltou a contar com um novo jogador naturalizado, depois de Liedson, Pepe, Deco, Celso e Lúcio Soares, todos nascidos no Brasil, e de David Júlio, oriundo da África do Sul.

Em setembro de 2009, Liedson, que passou oito temporadas no Sporting, foi chamado por Carlos Queiroz para o duelo com a Dinamarca, de qualificação para o Mundial 2010, e logo na estreia salvou Portugal da derrota em Copenhaga, ao marcar o golo do empate (1-1).

O 'levezinho' terminou a carreira com 15 jogos e quatro golos por Portugal e representou a seleção das 'quinas' no campeonato do mundo de 2010, na África do Sul.

Ainda em atividade está Pepe, que este ano pode mesmo superar Fernando Couto e tornar-se no defesa-central com mais jogos de sempre pela formação lusa.

Tal como Dyego Sousa, Pepe chegou a solo nacional ainda como adolescente e também para a Madeira, onde foi representar o Marítimo com apenas 18 anos.

Em 2007, o central do FC Porto recebeu a chamada de Luiz Felipe Scolari e, em novembro, estreou-se, logo a titular, perante a Finlândia (0-0), no encontro que confirmou a qualificação para a fase final do Euro 2008.

O defesa de 36 anos leva 104 internacionalizações e sete golos e integra a 'restrita' lista de seis futebolistas que chegaram à centena de jogos por Portugal.Anos antes, em 2003, igualmente pela mão de Scolari, Deco também optou pela seleção portuguesa, seis anos depois de ter chegado ao país, com 20 anos.

Em destaque no FC Porto, o médio foi chamado para um particular com o Brasil, numa decisão que na altura não foi unânime junto da opinião pública, e acabou por defrontar a canarinha em março, no Estádio das Antas.

Portugal venceu por 2-1, com Deco a marcar o golo do triunfo já perto do fim, de livre direto. Deco, que acabou a carreira com 75 jogos e cinco golos por Portugal, acabou por ser determinante na campanha da seleção nacional no Euro 2004, em que chegou à final, e no Mundial 2006, tendo alcançado as meias-finais.

O médio esteve ainda no Euro2008 e no Mundial2010.Na década de 1970, o trinco brasileiro Celso, do Boavista, representou três vezes a formação da quinas e, nos anos 60, foi a vez de o central brasileiro Lúcio Soares e de o médio sul-africano David Júlio, ambos do Sporting, contarem cinco e quatro internacionalizações, respetivamente.

Lusa

  • António Costa desvaloriza sondagens favoráveis para o PS
    2:51