Rumo ao Euro 2020

Os resultados de mais uma noite de apuramento para o Euro 2020

Seleção da Espanha

Domenic Aquilina

No Grupo F, a Espanha não precisou de brilhar para vencer, por 2-0, na visita a Malta.

Espanha e República da Irlanda cumpriram hoje com o seu favoritismo no apuramento para o Euro2020 futebol e a Grécia resgatou um ponto fora numa segunda jornada com reviravoltas e dois empates 3-3 consumados nos descontos.

No Grupo F, a Espanha não precisou de brilhar para vencer, por 2-0, na visita a Malta, com um 'bis' de Álvaro Morata, aos 31 e 73, que não esconde um desafio de menor fulgor de uma formação com muito talento individual, mas que tarda em mostrar-se como equipa.

O avançado do Atlético de Madrid inaugurou o marcador em remate cruzado com o pé esquerdo que desviou no guarda-redes e foi para a baliza, sentenciando a partida com cabeceamento indefensável, após cruzamento de Jesus Navas.

Vencendo um adversário que também tinha triunfado no primeiro desafio, a Espanha comanda isolado com o pleno de seis pontos, contra quatro da Suécia, que esteve a perder por 2-0 na Noruega, virou para 3-2 já nos descontos, mas ainda sofreu o 3-3.

O avançado Bjørn Maars Johnsen (41 minutos), que jogou no Atlético e Louletano, inaugurou o marcador com desvio na pequena área, zona onde Joshua King (59) foi mais forte de cabeça para ampliar para 2-0, que indiciava triunfo tranquilo.

Contudo, Viktor Claesson (70), em recarga a penálti defendido por Jarstein, a remate de Granqvist, reduziu para, antes de fazer dupla assistência para o 'bis' de Robin Quaison (86 e 90+1): primeiro a bola ainda tabelou em defesa e enganou o guarda-redes, seguindo-se um bem-sucedido desvio 'involuntário' com o corpo.

A loucura teve um derradeiro episódio aos 90+6 minutos, pois Williams Kamara, em cabeceamento 'mal-amanhado', empataria o encontro, garantindo, assim, um ponto aos noruegueses. A Roménia, que goleou as Ilhas Faroé por 4-1, com dois tentos de Claudiu Keseru, soma três pontos.

No Grupo D, a Suíça, sem o benfiquista Seferovic, lesionado, esteve a vencer em Basileia a Dinamarca por confortáveis 3-0, graças a golos de Freuler (19 minutos), Xhaka (66) e Embolo (76).

Quando o resultado parecia encaminhar-se para a goleada, Jorgensen (84), Gytkjaer (88) e Dalsgaard (90+3) materializaram a improvável recuperação, sendo que no último tento o guarda-redes Yann Sommer teve sérias responsabilidades.

A República da Irlanda, que se superiorizou à Geórgia com golo solitário de Conor Hourihane (35 moinutos), aproveirou e isolou-se na frente do agrupamento, com seis pontos, contra quatro dos suíços e um, em um jogo, dos dinamarqueses.

No Grupo J, a Grécia, com os benfiquistas Vlachodimos e Samaris no 'onze', tal como o português naturalizado Zeca, resgatou um ponto na Bósnia-Herzegovnia, depois de estar a perder por 2-0.

Visca (10 minutos) e Pjanic (15) deram cedo uma boa vantagem aos bósnios, mas Fortounis empatou aos 64, de grande penalidade, o médio da Juventus viu o vermelho direto aos 65, deixando os locais com 10, e Kolovos empatou, aos 85, com ação de Zeca.

Por seu lado, a Itália goleou o modesto Liechtenstein por 6-0 com dois penáltis de Fábio Quagliarella e a expulsão de um adversário em cima do intervalo, enquanto a Finlândia foi ganhar por 2-0 à Arménia.

A Itália ficou sozinha na frente, com seis pontos, mais dois do que Grécia e Bósnia-Herzegovina, enquanto a Finlândia tem três.

Face aos empates caseiros com a Ucrânia (0-0), na sexta-feira, e a Sérvia, na segunda-feira, ambos no Estádio da Luz, em Lisboa, o campeão europeu Portugal é terceiro do Grupo B, com dois pontos, a um do Luxemburgo e a dois da Ucrânia, enquanto, com menos um jogo, a Sérvia tem um e a Lituânia ainda não pontuou.

Lusa

  • O 11.º episódio do "Polígrafo SIC"
    20:14