Saúde Mental na Pandemia

Confinamento. Sete em cada 10 portugueses acusaram sofrimento psicológico

Metade apresentou sintomas considerados “moderados a severos”.

Um estudo português do Instituto Ricardo Jorge revela que sete em cada 10 portugueses acusaram sofrimento e que, desses, metade apresentou mesmo sintomas considerados moderados a graves.

A psicóloga Raquel Raimundo lembra, em entrevista à SIC Notícias, que no segundo confinamento os sintomas podem ser ainda mais prolongados.

Sublinha ainda que já em outubro, após o primeiro período de confinamento, cerca de 60% da população na Europa já apresentava sinais de fadiga.

O guia para gerir melhor as emoções durante o segundo confinamento

A Ordem dos Psicólogos criou um guia para ajudar os portugueses a gerirem melhor as emoções durante o segundo confinamento. Sentimentos como angústia, tristeza, medo, incerteza, aliados ao desgaste, cansaço e frustração, são normais nesta fase.

A Ordem dos psicólogos alerta para uma "fadiga da pandemia" que pode ter um grande impacto psicológico, superior ao vivido durante o primeiro confinamento.

Nesse sentido, aparece este guia de apoio à saúde mental, com sugestões para gerir relacionamentos, organizar o dia a dia e garantir o bem-estar.