SIC 25 Anos

Ah caraças, o amor... e agora?!

SIC

Sara Pinto

Sara Pinto

Jornalista

Aos jornalistas é sempre pedido um retrato factual, sem rodeios, o discurso puro e duro... sem poesia, como costumamos dizer entre nós. Essa exigência é ainda mais evidente quando em causa estão situações que envolvam a perda de vidas humanas.

SIC

É muito difícil não fazer o exercício de nos colocarmos na vez do outro... das famílias dos outros. Talvez isso nos seja permitido apenas para tomar determinadas decisões, como quando decidimos, por exemplo, afastar o microfone porque - eu, na vez do outro - não ia querer que me entrevistassem naquele momento, não seria correto.

Em todas as outras situações usamos a capa que blinda as emoções. Que nos impede de mostrar a comoção, a tristeza, a revolta... até o medo.

Em Novembro de 2015, em Paris, senti tudo isso.

Vários ataques coordenados fizeram mais de 130 mortos. O programa "Os Europeus" foi gravado ali, dois dias depois. Por toda a cidade havia comoção, tristeza, revolta e medo. Pus a capa blindada e fiz o trabalho.

José Eduardo Zuzarte, Catarina Neves, Odacir Júnior, Sara Pinto e João Nuno Assunção

José Eduardo Zuzarte, Catarina Neves, Odacir Júnior, Sara Pinto e João Nuno Assunção

SIC

Na última noite, ao jantar, a conversa com um dos empregados do restaurante foi quase a mesma que tivemos com muitos outros parisienses. Falámos da tal comoção, da tristeza, da revolta, do medo... e do amor! Ah caraças, o amor... e agora?! Não tinha a capa pronta para lidar com isso... nem com as rosas que ofereceu a mim e à Catarina Neves (éramos as duas senhoras da mesa).

"Não tem medo?" - perguntei, "Paris é a cidade do amor e o amor é mais forte", respondeu.

Deu-me vontade de chorar, ali no meio do restaurante, ali à frente de toda a gente. Estava preparada para as emoções más, fui desarmada pelas emoções boas.

Ainda hoje tenho essa rosa guardada, para me lembrar que não é só Paris a cidade do amor, também é Nice, Bruxelas, Londres, Berlim, Istambul, Manchester, Estocolmo, Copenhaga, Lahore, Peshawar, Damasco, Islamabad, Jalalabad, Cabul, Bagdade, Mogadíscio... e tantos outros sítios onde - quero acreditar - esse amor será sempre mais forte.

SIC