Operação Marquês

José Sócrates pode vir a ser julgado por mais crimes

Notícia SIC

José Sócrates pode vir a ser julgado por mais crimes

Diogo Torres

Diogo Torres

Jornalista

Num despacho a que a SIC teve acesso em exclusivo, o juiz admite que não concorda com as contas do Ministério Público.

José Sócrates e outros quatro arguidos da Operação Marquês podem vir a ser julgados por mais crimes do que os que constam da acusação.

Num despacho a que a SIC teve acesso em exclusivo, o juiz admite que não concorda com as contas do Ministério Público. Para o ex-primeiro-ministro, por exemplo, acrescenta sete crimes de fraude fiscal qualificada.

Em relação a outros arguidos do processo, Carlos Santos Silva terá praticado não quatro mas 12 crimes de fraude. Já o ex-administrador do grupo Lena, Joaquim Barroca, não apenas dois mas oito crimes

Armando Vara, ex-ministro e ex-administrador da Caixa Geral de Depósitos, mais três crimes do que os dois de que está acusado e o antigo administrador da PT, Henrique Granadeiro, não três mas cinco crimes de fraude fiscal qualificada.

Para Ricardo Salgado e Zeinal Bava, o juiz não muda o número de crimes mas entende que a moldura penal é mais grave. Socorre-se de uma alteração na lei para dizer que, em vez de uma pena de prisao até cinco anos, os crimes fiscais de que estão acusados passam a ter uma pena entre os dois e os oito anos de prisão.

O processo Operação Marquês tem 28 arguidos - 19 pessoas e nove empresas - pela prática de dezenas de crimes económico-financeiros.