Operação Marquês

Operação Marquês. Julgamento de Ricardo Salgado adiado

Francisco Seco

É o segundo adiamento deste julgamento.

O julgamento do ex-presidente do BES Ricardo Salgado, que estava previsto começar esta segunda-feira, foi novamente adiado, para 6 de julho, devido à extensão da contestação da defesa do antigo banqueiro.

Na primeira sessão de julgamento, no Tribunal Central de Criminal de Lisboa, o coletivo de juízes, presidido por Francisco Henriques aceitou os argumentos do procurador Vítor Pinto e reagendou já oito dias de audiências, a começar no dia 6 de julho, estando já marcadas também para setembro.

Este é o segundo adiamento do julgamento de Ricardo Salgado, que tinha início previsto para 7 de junho. O arranque do processo foi adiado pela primeira vez para esta segunda-feira devido ao prazo para a defesa apresentar a contestação.

Já hoje, o Ministério Público pediu novo adiamento de forma a poder analisar toda a documentação e contestação, para que no início do julgamento possa ter pleno conhecimento da prova em apreço.

Operação Marquês

No âmbito da Operação Marquês, que tem como principal arguido o antigo primeiro-ministro José Sócrates, Ricardo Salgado foi acusado de 21 crimes, entre corrupção ativa (num dos casos por alegadamente ter corrompido Sócrates), branqueamento de capitais, falsificação de documentos e fraude fiscal qualificada.

Contudo, o juiz de instrução Ivo Rosa decidiu pronunciar Ricardo Salgado unicamente por três crimes de abuso de confiança, em processo conexo e separado da Operação Marquês.