Sporting campeão

Sporting campeão. Madeirenses com direito a hora extra para festejar

HOMEM GOUVEIA

Com o recolher obrigatório entre as 23:00 e as 05:00 na Madeira, os sportinguistas tiveram apenas duas horas para festejarem nas ruas do Funchal, com as autoridades a permitirem mais uma hora do que a estipulada.

Com o recolher obrigatório entre as 23:00 e as 05:00 na Madeira, os sportinguistas tiveram apenas duas horas para festejarem nas ruas do Funchal, com as autoridades a permitirem mais uma hora do que a estipulada.

A Avenida do Mar, na baixa do Funchal, foi o local escolhido como já é habitual, para festejar as conquistas desportivas, este ano celebrada em tons de verde e branco, como há muito já não acontecia.

O Sporting sagrou-se na terça-feira campeão português de futebol pela 19.ª vez, 19 anos após a última conquista, ao vencer na receção ao Boavista, por 1-0, com um golo de Paulinho, aos 36 minutos do jogo da 32.ª jornada da I Liga.

Quando faltam duas jornadas para o fim do campeonato, os 'leões' somam 82 pontos, mais oito do que o FC Porto, segundo classificado, que detinha o título.

Centenas de madeirenses não quiseram perder a oportunidade de festejar no 'coração' da cidade, mas na sua grande maioria não abandonaram as viaturas fazendo uma marcha lenta e com muitas paragens para buzinar e celebrar com quem nas ruas fazia a festa que escapava há 19 anos.

HOMEM GOUVEIA

Curiosamente, a idade do filho de Ricardo Escórcio, um dos muitos adeptos que se encontrava na capital madeirense, que contou à Lusa, o "orgulho" que sente por ver o filho festejar um título pela primeira vez.

"Esta espera foi muito sofrida, quem é sportinguista sabe do que falo. É com muita alegria que estamos cá, não interessa quantos anos se passaram", declarou o sportinguista de 47 anos, garantindo que, para o ano os festejos serão "com copos, sem pandemia e com o Sporting outra vez campeão".

Quando questionado sobre as peças fundamentais para esta conquista não hesitou em falar no presidente Frederico Varandas, que "apostou nas pessoas certas", referindo que a aposta na formação é um "exemplo para o futebol português.

Gonçalo Moura, de 39 anos, que festeja pela primeira vez na Madeira, tendo celebrado dois títulos em Lisboa, garante que se não fosse o recolher obrigatório imposto pelo Governo Regional a "festa ia durar a noite toda".

O adepto que se fez acompanhar de toda a sua família, sportinguista, fez questão de referir, salientou o percurso "irrepressível" da formação comandada por Rúben Amorim, "um treinador jovem, que liderou uma equipa jovem", garantindo que "só vê coisas boas para o Sporting a partir daqui."

Manuel Andrade, de apenas 15 anos, não escondeu a emoção da conquista do título, o primeiro que vê a sua equipa do coração vencer e, assume que "sem Coates não tínhamos ganho o campeonato".

As autoridades locais permitiram que os festejos se alongassem por mais 50 minutos, dispersando a multidão quando o relógio marcava 23:50, que ordeiramente acatou as ordens e respeitou as medidas impostas face à pandemia de covid-19.

HOMEM GOUVEIA

HOMEM GOUVEIA

VISITE O ESPECIAL SPORTING CAMPEÃO