Vacinar Portugal

Portugal suspende vacina da AstraZeneca para pessoas com menos de 60 anos

Alejandro Garcia

A decisão foi anunciada esta tarde pela DGS.

As autoridades de saúde portuguesas recomendaram esta quinta-feira a administração da vacina da AstraZeneca contra a covid-19 em pessoas acima dos 60 anos de idade, seguindo a decisão de mais de uma dezena de países, que introduziram também restrições etárias.

A decisão foi anunciada esta tarde em conferência de imprensa, na sede do Infarmed.

Numa conferência de imprensa que contou também com a presença do coordenador da task force do plano de vacinação, o vice-almirante Henrique Gouveia e Melo, e do presidente da Autoridade Nacional do Medicamento (Infarmed), Rui Ivo, o anúncio da medida esteve a cargo da diretora-geral da Saúde, Graça Freitas.

"A Direção-Geral da Saúde recomenda, até estar disponível informação adicional, a administração da vacina da AstraZeneca a pessoas com mais de 60 anos. O plano de vacinação é ajustado para garantir que todas as pessoas são vacinadas com a vacina que protege", afirmou.

Graça Freitas apelou ainda às pessoas que já receberam a primeira dose da vacina para que se "mantenham tranquilas", uma vez que as reações adversas que foram notificadas são "extremamente raras".

"No entanto, nos 7 a 14 dias após a administração da vacina, devem estar atentas a sintomas como dores de cabeça persistentes, hematomas, manchas vermelhas na pele e sintomias semelhantes a um a AVC. Nestes casos, devem contactar de imediato o médico", referiu a responsável da DGS.

Em relação à toma da segunda dose da vacina da AstraZeneca, a diretora-geral considerou que quem já recebeu a primeira toma deve manter-se também "calmo e confiante".

"Entre a primeira e a segunda dose, decorrem cerca de três meses. Esta vacina tem um intervalo entre doses que é grande. Nestes três meses vamos ter informação adicional, quer da firma produtora, quer da Agência Europeia do Medicamento (EMA), e agiremos em conformidade", assegurou Graça Freitas.

O coordenador da task force para a vacinação anunciou ainda que a vacinação de docentes e não docentes será adiada uma semana, isto é, em vez de decorrer este fim de semana, como estava previsto, realizar-se-á no próximo fim de semana.

MIGUEL A. LOPES

"Vamos adiar uma semana a vacinação dos docentes e não docentes, que serão vacinados não neste fim de semana, mas no outro, com as vacinas que forem apropriadas, seguindo a recomendação que acabou de ser emitida", disse o vice-almirante Henrique Gouveia e Melo, acrescentando: "Não vai haver nenhum impacto além disto. As vacinas são suficientes para continuarmos o nosso plano".

Em Portugal registaram-se apenas dois casos de eventos tromboembólicos depois da vacinação, um deles após a vacina da AstraZeneca e outro depois de outra vacina. Nenhum dos casos resultou em morte.

O anúncio foi feito pelo presidente do Infarmed, Rui Ivo, que explicou também que estes casos podem relacionar-se com os que ocorreram noutros países da Europa, mas não são exatamente iguais.

MIGUEL A. LOPES

Vários países já decidiram, entretanto, traçar limites e não administrar a vacina da AstraZeneca abaixo de certas idades por uma questão de segurança: 30 anos no Reino Unido, 55 anos em França, Bélgica e Canadá, 60 anos na Alemanha, Itália e nos Países Baixos ou 65 anos na Suécia e na Finlândia.

Estas decisões surgem na sequência do anúncio da Agência Europeia do Medicamento (EMA), que assumiu ontem a existência de uma ligação ente a vacina e a formação de coágulos sanguíneos em pessoas com menos de 60 anos.

Ainda assim, o regulador europeu considera que os benefícios são superiores aos riscos e continua a recomendar a vacina para todos, sem qualquer limitação.

Apesar deste parecer positivo, vários países da União Europeia estão a alterar os grupos a quem é administrada esta vacina.

Há quem rejeite ser vacinado caso fármaco seja o da AstraZeneca

Continua a decorrer a primeira fase da vacinação contra a covid-19, aos mais idosos e aos que têm mais de 50 anos e doenças associadas. Há quem queira ser vacinado independentemente da marca e quem tema e até pense recusar, se for a vacina da AstraZeneca.

Para este fim de semana está marcada uma nova jornada de vacinação relacionada com a reabertura das escolas com os professores e trabalhadores não docentes a receberem a sua dose.

  • 1:16