Os números da Covid-19

Portugal com mais quatro mortes e 636 novos casos de covid-19

MÁRIO CRUZ

Número de internados volta a recuar.

Portugal contabiliza esta quinta-feira mais quatro mortes e 636 novos casos de covid-19, segundo o relatório diário da Direção-Geral da Saúde (DGS).

De acordo com o boletim divulgado, desde o início da pandemia, Portugal já contabilizou 832.891 casos e 16.956 mortes, estando esta quinta-feira ativos 24.764 casos, mais 111 em relação ao dia anterior.

Esta quinta-feira 395 doentes estão internados em enfermaria, menos 2 em relação a quarta-feira, e 104 em cuidados intensivos, menos seis em relação ao dia anterior.

Os dados revelam também que 521 pessoas foram dadas como recuperadas, fazendo subir para 791.171 o número total desde o início da pandemia em Portugal, em março de 2020.

O número de contactos em vigilância pelas autoridades de saúde aumentou em 755 relativamente a quarta-feira, totalizando agora 22.436.

O índice de transmissibilidade (Rt) do coronavírus SARS-Cov-2 em Portugal, segundo os últimos dados divulgados na quarta-feira, desceu para 0,98 enquanto a incidência de casos de infeção por 100.000 habitantes nos últimos 14 dias subiu para 72,7, segundo dados hoje divulgados.

Os números anteriores destes indicadores, divulgados na segunda-feira, apontavam para um Rt de 1 e uma incidência de 71,8 casos por 100.000 habitantes.

Os dados do Rt e da incidência são atualizados à segunda-feira, quarta-feira e sexta-feira.

DADOS POR REGIÃO

Das quatro mortes registadas nas últimas 24 horas, duas ocorreram na região Norte, uma em Lisboa e Vale do Tejo e uma na região Centro.

Na região de Lisboa e Vale do Tejo foram notificadas 203 novas infeções, contabilizando-se até agora 315.278 casos e 7.189 mortos.

A região Norte tem 269 novas infeções por SARS-CoV-2 e desde o início da pandemia já contabilizou 334.515 casos de infeção e 5.333 mortes.

Na região Centro registaram-se mais 58 casos, acumulando-se 118.294 infeções e 3.009 mortos.

No Alentejo foram assinalados mais 30 casos, totalizando 29.655 infeções e 970 mortos desde o início da pandemia.

Na região do Algarve o boletim revela que foram registados 37 novos casos, acumulando-se 21.475 infeções e 356 mortos.

Na região Autónoma da Madeira foram registados 17 novos casos, contabilizando 9.053 infeções e 68 mortes devido à covid-19 desde março de 2020.

Os Açores têm 22 novos casos e contabilizam 4.621 casos e 31 mortos desde o início da pandemia, segundo a DGS.

As autoridades regionais dos Açores e da Madeira divulgam diariamente os seus dados, que podem não coincidir com a informação divulgada no boletim da DGS.

DADOS POR GÉNERO E FAIXA ETÁRIA

O novo coronavírus já infetou em Portugal pelo menos 377.796 homens e 454.791 mulheres, mostram os dados da DGS, segundo os quais há 304 casos de sexo desconhecido, que se encontram sob investigação, uma vez que esta informação não é fornecida de forma automática.

Do total de vítimas mortais, 8.907 eram homens e 8.049 mulheres.

O maior número de óbitos continua a concentrar-se nos idosos com mais de 80 anos, seguidos da faixa etária entre os 70 e os 79 anos.

Do total de mortes, 11.160 eram pessoas com mais de 80 anos, 3.607 com idades entre os 70 e os 79 anos, e 1.518 tinham entre os 60 e os 69 anos.

DGS vai começar a vacinar pessoas entre os 16 e 79 anos

A Direção-Geral de Saúde (DGS) anunciou esta quarta-feira que atualizou as normas de vacinação contra a covid-19 devido a uma maior disponibilidade de doses e vai começar a vacinação de pessoas entre 16 e 79 anos.

Em comunicado divulgado esta quarta-feira, a DGS indica que, na segunda fase do plano de vacinação, são definidas duas estratégias distintas: "A vacinação por faixas etárias decrescentes, até aos 16 anos, e de pessoas com 16 ou mais anos e que tenham doenças com risco acrescido de covid-19 grave ou morte".

Entre as doenças que darão prioridade na toma da vacina, independentemente da idade, conta-se a diabetes, obesidade grave, doença oncológica ativa, transplantação e imunossupressão, doenças neurológicas graves e doenças mentais, refere.

Comissão Europeia prepara-se para processar a AstraZeneca

A Comissão Europeia está a preparar-se para processar a AstraZeneca. Em causa estão as sucessivas falhas na entregas de doses.

Vadim Ghirda

A notícia foi avançada pela publicação europeia POLITICO e confirmada pela SIC, que apurou ainda que os Estados Membros terão agora de decidir se se juntam ou não à ação.

A Comissão "em conjunto com os Estados Membros, estão a olhar para todas as opções" de forma a "garantir a entrega de um número suficiente de vacinas", tal como está contratualizado. E lembram que em março tinha sido já acionado o mecaminsmo de resolução de litígios.

De acordo com várias fontes diplomáticas, a Comissão está a considerar uma ação judicial contra a farmacêutica através da justiça belga. A intenção foi comunicada esta quarta-feira aos embaixadores dos 27 em Bruxelas. Alguns países terão mostrado reservas.

Até ao final de junho, a AstraZeneca deveria entregar cerca de 300 milhões de doses à União Europeia, mas só deverá chegar à Europa um terço desse valor.

  • Investir agora na infância para poupar no futuro

    Desafios da Mente

    Assegurar o desenvolvimento saudável de todas as crianças é essencial para as sociedades que procuram alcançar o seu pleno potencial sanitário, social e económico. A prevenção da adversidade precoce deve ser uma preocupação diária e não apenas assunto no mês de abril, mês Internacional da Prevenção dos Maus-Tratos na Infância. Os Governos, as famílias, as comunidades e as organizações devem ser envolvidas a fim de alcançar estes objetivos.