Os números da Covid-19

Portugal com mais 7 mortes e 600 novos casos de covid-19 em 24 horas

Vista geral de uma rua da Baixa de Lisboa durante o recolher obrigatório do estado de emergência.

ANTÓNIO PEDRO SANTOS

O último balanço da Direção-Geral da Saúde.

Portugal contabiliza esta terça-feira mais 7 mortes e 600 novos casos de covid-19, segundo o relatório diário da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Desde o início da pandemia, Portugal já registou 17 962 mortes e 1 067 775 casos de infeção pelo vírus SARS-CoV-2, estando ativos 30 547 casos, menos 738 em relação a segunda-feira.

O boletim da DGS revela que estão internados 399 doentes, menos 21 do que na segunda-feira. Nos cuidados intensivos estão 74 doentes, menos 5.

Os dados indicam ainda que mais 1 331 doentes foram dados como recuperados, fazendo subir para 1 019 266 o número total de recuperados desde o início da pandemia em Portugal, em março de 2020.

As autoridades de saúde têm sob vigilância 27 391 contactos, menos 454 relativamente ao dia anterior.

TAXA DE INCIDÊNCIA E ÍNDICE DE TRANSMISSIBILIDADE

A taxa de incidência nacional é de 111,6 casos de infeção por 100 000 habitantes. No continente está nos 113,5 casos por 100 000 habitantes.

O R(t) nacional está em 0,85 e no continente em 0,84.

Os dados dos indíces R(t) e da incidência são atualizados à segunda, quarta e sexta-feira.

Artigo em atualização.

Costa garante que restrições serão levantadas mesmo a décimas dos 85% de vacinados

O primeiro-ministro assegurou esta terça-feira que o Governo vai manter o levantamento do conjunto de restrições a 1 de outubro, mesmo que nesse dia o país não tenha atingido por décimas a meta de 85% de cidadãos vacinados.

"O Governo fixou o dia 1 de outubro. Não estamos nos 85% de vacinas, mas estamos praticamente nesse valor. Aliás, hoje [terça-feira], o senhor vice-almirante Gouveio e Melo [coordenador do plano de vacinação] não precisou qual é a décima em que o país está", respondeu.

Por isso, para o primeiro-ministro, não se justifica "haver novos adiamentos" neste processo de levantamento das restrições antes impostas por causa da pandemia da covid-19.

O Governo, segundo António Costa, "vai manter tudo como estava previsto para 1 de outubro", renovando o apelo às pessoas que já tomaram a primeira dose, mas que ainda não têm a segunda, para que a tomem.

► VEJA TAMBÉM:

LINKS ÚTEIS