Web Summit

Web Summit intensifica movimento na Gare do Oriente

Pedro Nunes

O movimento nas estações dos transportes públicos na Gare do Oriente estava bastante mais intenso esta manhã, segundo dia da Web Summit, do que no dia de abertura da cimeira, segunda-feira, disseram à Lusa alguns passageiros na estação.

Dentro dos transportes públicos estava muita gente, conta a egípcia Samiha Renk, explicando que mesmo assim sem grandes confusões, que estava tudo calmo. "Há muitas indicações ao longo da viagem até à estação do Oriente, as pessoas mantêm-se calmas e apenas seguem as indicações", reforçou.


A estudante Helena Lima, de 21 anos, concorda: "Há bastante movimento e estão mais pessoas, mas não há grandes confusões no metro, está tudo calmo e dentro da normalidade".


Também Ana Abreu, com 19 anos de idade, de Lisboa, participante da Web Summit, afirmou que, no segundo dia da conferência de tecnologia, há "mais pessoas do que o habitual", mas está tudo "muito bem sinalizado, não há confusões".

Já Ana e Paulo Ribeiro discordam. Ambos de 21 anos de idade, e do norte do país, afirmaram que sentiram demasiadas confusões e que existiam demasiadas pessoas dentro dos transportes públicos.


O taxista Luís Gomes, de 54 anos de idade, que se encontrava estacionado na Gare do Oriente revelou que esta manhã já se notava "muito mais gente do que ontem", reforçando que na segunda-feira à tarde era possível visualizar mais pessoas na estação, mas hoje o movimento consegue ser "ainda maior".


Na estação de metro do Oriente todas as máquinas para a compra dos passes que permitem uma, ou mais, viagens tinham pequenas filas, com apenas duas ou três pessoas cada.


Esta manhã, no local, encontravam-se mais agentes de segurança, nomeadamente vários polícias de intervenção, do que na segunda-feira, dia de abertura da cimeira, e quatro viaturas da Polícia de Segurança Pública (PSP).


A segunda edição da cimeira de tecnologia e empreendedorismo decorre até quinta-feira no Parque das Nações.

Lusa