FB Instant Articles

Desemprego cai mas número de inativos dispara com a pandemia

A taxa de desemprego caiu para os 5,6%, mas o número de inativos registou o valor mais alto desde 2011.

Entre abril e junho, os três meses em que a pandemia mais afetou Portugal, a taxa de desemprego surpreendeu e acabou por cair 1,1 pontos percentuais face ao trimestre anterior.

Mas observando com atenção os dados, percebe-se que essa queda não significa uma evolução positiva do mercado de trabalho.

É explicada pelo facto da procura de emprego ter estado condicionada durante o segundo trimestre, período em que grande parte do país esteve em confinamento.

A população disponível não procurou emprego e o número de inativos disparou para o valor mais alto em nove anos ( 3 886,7 pessoas).

Além disso, o emprego também caiu 2,8% durante o confinamento, a primeira queda em seis anos e que se traduziu em menos 135 mil empregados em Portugal.

Veja tabém: