Artes

01.04.2021

Uma fábrica de arte no centro de Castelo Branco

No lugar onde dantes se fabricavam tecidos e peças de vestuário, produzem-se hoje sonhos e ideias e montam-se exposições e espetáculos. Ao longo de um espaço de 2500 metros quadrados distribuem-se oficinas e ateliers de teatro, dança, música, cinema, multimédia, design, artes gráficas, fotografia e arquitetura

A Fábrica da Criatividade instalada no centro de Castelo Branco numa antiga fábrica têxtil, que funcionou entre os anos 50 e os finais do século XX, abriu portas em janeiro de 2019, fruto da forte aposta da autarquia “no dinamismo económico da região e na criação de infraestruturas capazes de albergar projetos empreendedores na área das industrias criativas”, explica Carlos Matos, coordenador da estrutura. Foi um contributo para tornar Castelo Branco “uma cidade amiga dos artistas.”

Neste edifício que começou por ser pensado para uma prisão, aberto 24 horas por dia durante os sete dias da semana, cruzam- se e desenvolvem-se hoje 55 projetos artísticos e multidisciplinares desenvolvidos por 218 pessoas “num ambiente adequado e com as condições técnicas necessárias”, diz Carlos Matos. São ideias que crescem e dinamizam as oficinas de Metais, Madeiras, Cerâmica, Artes Gráficas e os ateliers têxtil, de Artes Plásticas, Música, Teatro, Dança, Artes Circenses, Design de Comunicação, Ilustração, Multimédia/Audiovisuais e Fotografia.

Dois milhões de euros para apoiar artistas

O apoio aos artistas locais é um dos objetivos principais da Fábrica da Criatividade que recebeu um investimento da autarquia de cerca de dois milhões de euros. Hoje, apresenta-se “como um projeto preponderante para a fixação de quadros qualificados e uma solução para os que, assim, procuram uma oportunidade para desenvolverem as suas atividades na região e aqui se fixarem” sublinha o seu coordenador. Para além dos projetos do concelho de Castelo Branco, incluem-se outros de residentes na região, nomeadamente, na Covilhã, Fundão, Vila Velha de Rodão ou Idanha-a-Nova.

Ao mesmo tempo, a Fábrica procura estabelecer uma “complementaridade com outras instituições, como a Escola Superior de Artes Aplicadas do Instituto Politécnico de Castelo Branco, o Centro de Empresas inovadoras bem como com outros equipamentos culturais e académicos, quer da cidade quer da região”. Às oficinas, juntam-se um auditório com capacidade de 150 lugares, salas de coworking, Black Box para ensaios de teatro, dança e outras artes performativas, seis gabinetes, um laboratório de revelação para fotografia a preto e branco, uma sala de conferências, uma biblioteca, uma sala de exposições e outra de reuniões e ainda uma cafetaria, num espaço organizado segundo um conceito arquitetónico considerado “modelar”

A Fábrica da Criatividade recebe também residências artísticas, tanto de outras regiões do país, como de países estrangeiros. Já a procuraram artistas de diferentes pontos do país, como Braga, Viseu, Lisboa, Porto, Faro, Elvas e Santarém, mas também de Espanha, França e Áustria.

Atualmente, “36 projetos, principalmente ligados às artes performativas e artes plásticas” desenvolvem-se na Fábrica da Criatividade em residência, “o que faz um total de 487 intervenientes”, revela Carlos Matos.

Projeto "Estar Perto"

A pandemia não foi motivo para parar. As caraterísticas da Fábrica foram aproveitadas para criar o Centro de Recursos Covid 19 e usar os equipamentos ali instalados, nomeadamente do Atelier Têxtil, Oficinas e Software para que voluntários pudessem fabricar Equipamentos Individuais de Proteção (viseiras, máscaras, cógulas, perneiras).

Nasceu o projeto “Estar Perto” em que estiveram envolvidos 67 artistas e técnicos. Foram criados, gravados e editados conteúdos com 12 grupos musicais para serem visionados nos lares de Idosos e nos Centros de Dia do Concelho de Castelo Branco durante o confinamento. “Também disponibilizámos espaços e meios técnicos para a produção de conteúdos por parte de diferentes agentes culturais (música, dança, teatro, cinema) para a plataforma CB acontece em Casa”, diz o coordenador da Fábrica.

Dois anos depois de ter aberto portas, a Fábrica da Criatividade já é uma referência na qualidade dos produtos culturais que oferece à comunidade.