Artes

26.05.2021

Iniciativa PARTIS & Art for Change: 16 projetos artísticos para construir um mundo melhor

Há um grupo de teatro que junta surdos e ouvintes, uma companhia de artistas com mais de 60 anos, uma orquestra que integra crianças de três comunidades da ilha de S. Miguel, um “Trampolim” para jovens entusiastas das artes circenses e um método especial para cegos e pessoas de baixa visão fazerem teatro

São projetos vencedores da primeira edição da iniciativa PARTIS & Art for Change, promovida pela Fundação Calouste Gulbenkian e pela Fundação ”la Caixa”, a provar como as artes podem contribuir para a construção de comunidades mais sustentáveis e coesas.

A estes projetos, alguns com a coordenação artística de nomes de referência como Madalena Victorino, André Amálio, Filipa Francisco, Graeme Pulleyn ou Sofia de Portugal, somam-se vários outros caraterizados pelo seu impacto social, em todo o país.

Três dessas iniciativas destacam-se pelo foco no tema do ambiente, cruzando as artes da terra, a natureza e as preocupações ambientais com as artes performativas, plásticas e visuais.

Estes projetos que se iniciaram em janeiro deste ano (com as limitações impostas pela pandemia) terão uma duração entre 24 a 36 meses Veja aqui a lista dos projetos apoiados.

Os 16 projetos vencedores foram selecionados entre 132 candidaturas, num concurso que, além da grande abrangência territorial – com entidades apoiadas pela primeira vez em S. Miguel (Açores), Faro, Odemira, Viseu, Esposende, Braga e Guimarães –, foi marcado ainda pela diversidade de comunidades-alvo e de disciplinas artísticas, que vão desde o teatro à música, passando pelas artes visuais, a dança e o multimédia.

A iniciativa PARTIS & Art for Change foi lançada em janeiro de 2020 pela Fundação Calouste Gulbenkian e pela Fundação ”la Caixa”, destinando 1,5 milhões de euros ao apoio a projetos inovadores que demonstrem o papel que as artes visuais, performativas ou audiovisuais podem desempenhar nos percursos de integração de pessoas em situação de maior vulnerabilidade social e na construção de comunidades mais coesas.

A iniciativa PARTIS, da Fundação Calouste Gulbenkian, tem desde 2013 o propósito de apoiar projetos artísticos inovadores para promover a inclusão social. Ao longo de três edições, foram apoiados, com um total de três milhões de euros, 48 projetos. Nas duas primeiras edições, a iniciativa abrangeu cerca de 11.500 participantes, envolveu 651 organizações parceiras e resultou em quase 1000 apresentações públicas (espetáculos, instalações, exposições) que mobilizaram mais de 200 mil espetadores.

Já a iniciativa Art for Change foi lançada em 2008, em Espanha, pela Fundação ”la Caixa”, com o objetivo de apoiar projetos artísticos que promovessem a transformação social, tendo financiado até agora 383 projetos, no valor de cerca de cinco milhões de euros, abrangendo 59 mil participantes e envolvendo 170 entidades culturais e 308 artistas. A Fundação ”la Caixa” iniciou em 2018 a sua implantação em Portugal, consequência da entrada do BPI no CaixaBank.