Mais Esperança

06.09.2021

Gulbenkian apoia maternidade de Luanda

Reduzir as elevadas taxas de mortalidade materno infantil é o principal objetivo do projeto de apoio à principal maternidade de Luanda, pela Fundação Calouste Gulbenkian.

Iniciado em 2017, em colaboração com a Sociedade Portuguesa de Neonatalogia, este projeto tem sido desenvolvido na unidade de cuidados perinatais da Maternidade Lucrécia Paim, onde nascem, em média, 80 crianças por dia.

O projeto tem possibilitado promover a formação de recursos humanos, a realização de estágios em Portugal, a contratação de técnicos de saúde, e a aquisição de equipamentos, melhorando a qualidade da saúde materno-infantil.

Ao longo destes dois últimos anos, equipas de pediatras neonatalogistas portugueses, têm-se deslocado a Angola para dar formação aos profissionais de saúde, de forma a identificar e resolver potenciais situações de risco na assistência às grávidas e no parto.

A monitorização do trabalho desenvolvido naquela maternidade, que é também um centro de referência na prestação de cuidados de saúde a mulheres grávidas e recém-nascidos, tem contribuído para a redução da mortalidade neonatal e para a melhoria das condições de assistência ao recém-nascido na sua unidade de cuidados especiais.

A parceria estabelece também a realização de estágios, em unidades de saúde portuguesas, destinados a profissionais de saúde angolanos.

Pretende-se, desta forma, acabar com as mortes evitáveis de recém-nascidos e crianças menores de 5 anos em Angola.