Meteorologia

Câmara do Porto promete adotar medidas para minimizar danos causados pela chuva

Loading...

Mau tempo tem provocado derrocadas na marginal da cidade.

A Câmara do Porto diz que está atenta aos fenómenos extremos de mau tempo, tal como aconteceu recentemente na marginal e que obrigou ao corte do trânsito. A autarquia garante que as zonas mais problemáticas estão identificadas e que está a ser implementado um plano para minimizar danos.

Foi a 15 de novembro que surgiu na avenida Gustavo Eiffel uma “cascata” que congestionou a normal circulação de veículos. O fenómeno não espanta os residentes pois tem sido algo usual ao longo dos últimos anos, contudo, tem-se agravado.

António Campos e Matos, antigo professor da Faculdade de Engenharia do Porto, explica a derrocada da escarpa provocada pelo mau tempo. "É a ribeira que vem do ponto mais alto da cidade do Porto (...) Quando chove muito essa ribeira fica cheia de água e precipita-se pelo rio e passa por cima da rua".

O ex-docente explicita que a crescente pavimentação do solo, aliada ao novo sistema de drenagem torna possível o rápido escoamento das águas.

"Os telhados das casas também drenam a água rapidamente para a rede de drenagem e depois tudo, de uma forma muito rápida, vai cair à tal ribeira quando antigamente isto era mais lento", declara António Campos e Matos.

A Câmara Municipal do Porto já se pronunciou acerca da situação e garante que irá instaurar medidas de prevenção.

"A ribeira Poço das Patas é particularmente afetada porque a estrutura de entubamento não foi dimensionada para estes níveis anómalos de precipitação. A autarquia garante que já identificou as zonas mais problemáticas e que está a implementar várias medidas para minimizar estes impactos", esclarece a autarquia.

Providências que passam pela reabilitação das linhas de água da cidade e pela criação de bacias de retenção.

Últimas Notícias