Mundo

Johnson & Johnson novamente condenada em caso de pó de talco alegadamente cancerígeno

A multinacional Johnson & Johnson foi condenada a pagar cerca de quase 50 mil euros de indemnização a uma mulher segundo a qual foi o pó de talco da marca que lhe causou cancro nos ovários.

(Arquivo/Reuters)

(Arquivo/Reuters)

© Lucas Jackson / Reuters

Gloria Ristesund, 62 anos, diz que usou pó de talco da Johnson & Johnson durante décadas, nos seus genitais. Um júri do Estado do Missouri condenou a multinacional em cerca de 50 mil euros.

A empresa enfrenta 1200 acusações semelhantes, mas insiste que os seus produtos são seguros. Os investigadores não encontram, por sua vez, quaisquer provas da relação entre a doença e o uso de pó de talco.

Em fevereiro, a empresa pagou 65 milhões de euros num caso semelhante.

  • O planeta em que todos vivemos

    Futuro Hoje

    O Planeta Lourenço terá que ser ainda mais simples e eficaz na mensagem. É um risco. Frequentemente, quando me mostram aparelhos ou programas as coisas falham, é o que chamo de síndrome da demonstração. Mas isto acontece na vida real, é assim que vamos fazer.

    Opinião

    Lourenço Medeiros