Mundo

Merkel pede cortes na assistência financeira da UE à Turquia

Dario Pignatelli

A chanceler alemã pediu esta quinta-feira cortes na assistência financeira da União Europeia (UE) para ajudar a Turquia a preparar-se para uma eventual adesão devido ao que classificou como a direção problemática que a democracia turca está a tomar.

Angela Merkel considerou, ao chegar à cimeira da UE que hoje decorre em Bruxelas, que o desenvolvimento da democracia da Turquia é "muito negativo, não só por muitos alemães estarem presos".

No entanto, a chanceler elogiou a Turquia por ajudar a parar o fluxo massivo de migrantes para a Europa, como parte do acordo da UE

A tentativa da Turquia de se juntar à UE paralisou depois de uma repressão à dissidência que se seguiu à tentativa de golpe fracassado em 2016.

O Governo do presidente Recep Tayyip Erdogan prendeu vários cidadãos alemães, incluindo jornalistas e um ativista dos direitos humanos.

Os chefes de Estado e de Governo da União Europeia reúnem-se em Bruxelas, entre quinta e sexta-feira, numa cimeira na qual vão discutir as negociações com o Reino Unido para o Brexit e o futuro da União a 27.

Lusa