Mundo

Brasil garante "medidas recíprocas" caso embaixador deixe de ser bem-vindo na Venezuela

O Governo brasileiro indicou este sábado que, a confirmar-se a decisão de declarar o embaixador daquele país na Venezuela, Ruy Pereira, como non grato (indesejado), irá aplicar "medidas recíprocas", criticando o "caráter autoritário" do executivo de Nicolás Maduro.

"Caso se confirme, essa decisão demonstra, uma vez mais, o caráter autoritário da governação de Nicolás Maduro e a sua falta de disponibilidade para qualquer tipo de diálogo", disse em comunicado o Ministério das Relações Exteriores do Brasil.

A tutela do Governo de Michel Temer informou, na mesma nota, que "teve conhecimento" da decisão da presidente da Assembleia Nacional Constituinte, Delcy Rodríguez, de que este órgão "tinha decidido declarar o embaixador do Brasil em Caracas [capital de Venezuela] como persona non grata".

Caso isso aconteça, "o Brasil aplicará as devidas medidas recíprocas", adianta o Ministério das Relações Exteriores.

O Governo brasileiro tem feito críticas públicas à gestão de Nicolás Maduro já que além de discordar das ações tomadas pelo líder venezuelano enfrenta dificuldades para acolher milhares de venezuelanos que desse o ano passado fogem da fome e se refugiam nos Estados brasileiros do Acre e Amazonas, localizados perto da fronteira com a Venezuela.

Lusa

  • Venezuela expulsa dois diplomatas do Brasil e do Canadá

    Mundo

    A Venezuela ordenou este sábado a expulsão de dois diplomatas do Brasil e do Canadá. A Presidente da Assembleia Nacional Constituinte venezuelana considerou o embaixador brasileiro Ruy Carlos Pereira e o diplomata canadiano Craig Kowalik "personas non gratas" no país.

  • O que houve de melhor no SBSR
    11:16
  • Descobrir as rotas do Alentejo
    14:59