Mundo

Israel comunica saída da UNESCO para final de 2018

Philippe Wojazer

O Governo de Israel comunicou esta sexta-feira ao diretor-geral da UNESCO que abandona a 31 de dezembro de 2018 a organização das Nações Unidas para a educação, ciência e cultura, concretizando uma decisão que já tinha anunciado.

Audrey Azoulay lamentou "profundamente a saída" de Israel, acrescentando que tem a convicção "de que é dentro da UNESCO e não fora que os Estados melhor procuram superar diferenças nos campos da competência".

"Israel tem lugar dentro de uma instituição comprometida com a defesa da liberdade de expressão, a prevenção de todas as formas de antissemitismo e racismo e que desenvolveu um exclusivo programa de educação sobre o Holocausto e a prevenção do genocídio", afirmou o diretor-geral da UNESCO, em comunicado.

Azoulay sublinhou que a UNESCO promove "o diálogo entre culturas, a luta contra o extremismo violento e conserva o património afetado nomeadamente pelos destrutivos atos de organizações terroristas".

Israel é membro da UNESCO desde 16 de setembro de 1949. A 12 de outubro último tinha anunciado a decisão de abandonar a organização.

Lusa

  • Reino Unido ameaça Irão com "graves consequências"
    1:59
  • Corrupção no topo das preocupações dos portugueses
    1:34
  • Cepas da Serra
    10:16
  • "À descoberta com..." Inês Castel-Branco na Tailândia 
    3:14