Mundo

Forças de segurança do Congo lançam gás lacrimogéneo em igreja durante uma missa

Kenny Katombe

As forças de segurança congolesas dispararam tiros para o ar e lançaram gás lacrimogéneo numa igreja do centro de Kinshasa, em manifestações contra o prolongamento no poder do presidente Joseph Kabila. Há pelo menos dois mortos.

"Enquanto estávamos em oração, os militares e os polícias entraram na igreja e atiraram gás lacrimogéneo" no decurso da missa, declarou à agência France Presse um cristão da paróquia de Saint-Michel, em Bandalungwa, na província de Kinshsa.

Um outro paroquiano relatou que há socorristas a tentar reanimar pessoas idosas que caíram, enquanto descreve que o padre não parou de dizer a missa, prosseguindo com os cristãos que decidiram não fugir.

Toda a oposição e sociedade civil que têm exigido a saída do presidente Kabila em 31 de dezembro de 2017 se junta ao apelo à participação numa marcha, considerada de alto risco e proibida pelas autoridades, tal como anteriores manifestações na República Democrática do Congo.

Lusa