Mundo

O "menino de gelo" que está a derreter corações

A imagem de um menino de oito anos invadiu as redes sociais chinesas. Com as bochechas rosadas e neve no cabelo e nas sobrancelhas, o "menino de gelo" - como ficou conhecido na internet - relançou a discussão sobre a pobreza infantil e as crianças deixadas pelos pais. Esta é a história de Wang Fuman, que faz todos os dias 4,5 quilómetros a pé para chegar à escola.

A imagem do "menino de gelo" foi publicada nas redes sociais na segunda-feira, pelo diretor da escola no condado de Ludian. Rapidamente, a fotografia tornou-se viral, com os internautas a defender que não está a ser feito o suficiente para ajudar as crianças das famílias pobres das zonas rurais da China.

Segundo a BBC, o menino de oito anos faz um trajeto a pé de 4,5 quilómetros para chegar à escola, ou seja, uma viagem que dura mais de uma hora. No dia em que a fotografia foi tirada, a temperatura naquela zona da China rondava os nove graus negativos.

"Estavam -9ºC durante a manhã e era o primeiro dia dos exames finais. Ele vive muito longe da escola e, quando chegou às aulas, o seu cabelo estava cheio de neve", contou o diretor da escola, Fu Heng, aos jornais locais.

Perante a tamanha dimensão que o caso ganhou, uma equipa de jornalistas visitou a casa do menino, para ver como ele vivia. Em entrevista à plataforma digital Pear Video, Wang Fuman disse que pensava que estaria sol e que por isso tinha levado poucas camadas de roupa para a escola.

Segundo a plataforma, o menino vive numa "casa de barro" com a avó e a irmã mais velha. O pai é um emigrante que vem a casa poucas vezes por ano e a mãe abandonou a família, como contou o menino de oito anos.

Para além de frequentar a escola, o "menino de gelo" também ajuda a avó no trabalho rural, daí o mau estado em que estão as suas mãos na outra fotografia publicada pelo diretor da escola.

Weibo

A história do "menino de gelo" derreteu os corações dos internautas e chamou a atenção para a necessidade de ajudar estas crianças. De acordo com a BBC, milhões de crianças das zonas rurais são deixadas para trás pelos pais, que emigram à procura de melhores empregos.

Algumas companhias locais responderam ao apelo feito na internet e doaram dinheiro à escola de Wang Fuman, que irá comprar roupas para os alunos e melhorar o sistema de aquecimento.