Mundo

Pelo menos 17 mortos em Caracas após explosão em festa escolar

Pelo menos 17 pessoas que participavam este sábado numa festa escolar em Caracas morreram ao fugir do local após a explosão de uma bomba de gás lacrimogéneo, disse o ministro do Interior venezuelano, Néstor Reverol.

No local, onde decorria uma festa de fim de ano escolar, estavam mais de 500 pessoas.

O ministro do Interior disse que entre os 17 mortos estão oito menores e que há outras cinco pessoas que ficaram feridas, uma das quais em estado grave, durante a ocorrência, que teve origem num desentendimento entre alguns dos participantes no evento.

"Até ao momento foram detidas sete pessoas, entre eles menores de idade", disse o ministro, adiantando que um dos menores é acusado de ser o "autor material do lançamento" da bomba de gás lacrimogéneo.

Néstor Reverol informou que o incidente ocorreu durante a madrugada deste sábado no clube Los Cotorros, de El Paraíso, a oeste de Caracas, onde se celebrava uma festa de fim de ano escolar de várias instituições.

"Uma das pessoas envolvidas na luta lançou e ativou um gás lacrimogéneo que levou à debandada de mais de 500 pessoas que estavam no clube social [...] , causando a morte de 17 pessoas", afirmou o Reverol.

O ministro disse que entre os detidos está também o dono da discoteca - que foi fechada -, "já que a lei para o desarmamento e controlo de armas e munições estabelece medidas muito claras [...] para impedir a entrada de armas de fogo e munições em estabelecimentos".

Lusa