Mundo

Preso deputado neonazi que pediu intervenção do exército contra acordo Grécia/Macedónia

Darren Staples

A polícia grega deteve hoje o deputado neonazi Constantino Barbarousis, acusado de traição depois de pedir uma intervenção do exército contra o acordo entre Atenas e Skopje sobre o futuro nome da ex-república jugoslava da Macedónia.

O parlamentar foi detido em casa de um amigo, onde estava escondido, nos subúrbios de Atenas. Barbarousis fugiu na sexta-feira, depois do mandado de captura ter sido emitido.

Falando durante um debate sobre o acordo entre Atenas e Skopje, o deputado tinha apelado na tribuna do parlamento ao exército para prender o chefe de Estado, o primeiro ministro e o ministro da Defesa.

Mais tarde, Constantino Barbarousis foi excluído do seu grupo parlamentar, que agora tem 15 deputados.Toda a gestão da Aurora Dourada, uma formação que conseguiu o terceiro lugar nas eleições de janeiro de 2015, foi investigada por mais de dois anos por "constituição de gangues criminosos" que estiveram na origem da violência política e xenófoba.

A extrema-direita grega é contra o acordo histórico assinado no domingo pelos governos grego e macedónio para alterar o nome da ex-república jugoslava da Macedónia para República da Macedónia do Norte, abrindo-lhe o caminho para pertencer à UE e à ONU.

Milhares de opositores, incluindo centenas de extremistas gregos que estiveram envolvidos em incidentes com a polícia, protestaram nos dois lados da fronteira contra a realização da cerimónia.

Este acordo, que deve entrar em vigor dentro de seis meses, coloca um fim numa querela político-semântica de 27 anos.Atenas era contra a utilização do nome Macedónia por outro país, porque poderia levar a que este país vizinho reivindicasse o território de uma região do norte da Grécia com o mesmo nome.

Pelo seu lado, a ex-república jugoslava tem aspirações de entrar na União Europeia e na NATO, o que estava a ser dificultado pelo veto da Grécia, membro das duas organizações.

Com este acordo, a Grécia deve levantar o seu veto grego à entrada da Macedónia na União Europeia e na NATO.

Lusa

  • O cartão amarelo que não se percebe 

    Opinião

    Despir a camisola aquando da celebração de um golo é proibido pelas leis de jogo. Penso que toda a gente sabe disso. Aliás, basta apenas que um qualquer jogador cubra a cabeça usando essa peça de equipamento para ser sancionado.

    Duarte Gomes