Mundo

Prisão perpétua para sueco envolvido no genocídio no Ruanda

Crânios preservados de pessoas mortas no genocídio do Ruanda no Museu Memorial do Genocídio na capital, Quigali. (Reuters/ Arquivo)

REUTERS

Um tribunal de Estocolmo condenou hoje um sueco de origem ruandesa a prisão perpétua pela sua participação no genocídio no Ruanda, em 1994.

O Tribunal distrital de Estocolmo declarou Theodore Tabaro culpado dos crimes de assassínio, tentativa de assassínio e sequestro de membros da etnia tutsi "com a intenção de destruir todo ou parte do grupo étnico".


Segundo o tribunal, Tabaro, por ter sido tão importante e ativo na realização dos crimes, desempenhou "um papel de liderança a nível local".


A prisão perpétua é a sentença mais grave na Suécia.


Entre abril e julho de 1994, cerca de 800 mil tutsis e hutus moderados foram mortos no Ruanda por extremistas da maioria hutu, de acordo com as Nações Unidas.

Lusa