Mundo

Presidentes de Timor-Leste e da Indonésia querem aprofundar relações bilaterais

Lirio Da Fonseca

Os presidentes de Timor-Leste e da Indonésia, Francisco Guterres Lu-Olo e Joko Widodo, assumiram hoje o compromisso de aprofundar e ampliar as relações entre os dois países, em particular os setores económico e educativo.

Mensagens idênticas foram deixadas pelo dois chefes de Estado numa curta declaração aos jornalistas, sem direito a perguntas, depois de um encontro a sós e de uma reunião de delegações dos dois países.

Os encontros decorrem no palácio presidencial de Bogor, nos arredores de Jakarta, onde Lu-Olo foi hoje recebido com honras de Estado naquela que é a primeira visita de Estado à Indonésia.

Widodo sublinhou o facto de Lu-Olo ter escolhido a Indonésia para a sua primeira visita de Estado, "revelador da aproximação" entre os dois países, e aproveitou para saudar a tomada de posse do primeiro-ministro timorense, Taur Matan Ruak, e do seu Governo.

No encontro, explicou Widodo, os dois países concordaram em "progredir em várias áreas de cooperação no futuro", fortalecendo em particular "as relações de comércio e investimento".

"Queremos ser um parceiro de confiança de Timor-Leste: a indonésia pode ser o principal parceiro", disse, recordando que já operam no país nove empresas estatais indonésias e 400 privadas com um investimento total de 595 milhões de dólares.

Por isso, defendeu acordos para proteção de investimento, bem como um reforço das conectividades, tanto terrestres como aéreas.Lu-Olo, por seu lado, aproveitou o encontro para agradecer o apoio regional que a Indonésia tem dado a Timor-Leste.

"Timor-Leste agradece o apoio contínuo do Governo da Indonésia na adesão de Timor-Leste à ASEAN [Associação de Nações do Sudeste Asiático].

E mais uma vez quero reiterar a importância que Timor-Leste atribui à sua adesão", afirmou.

Lu-Olo destacou as "excelentes relações" entre os dois países, abrangendo "muitas áreas de cooperação", incluindo a economia, educação e segurança, bem como os "negócios e o relacionamento" entre os povos.

"Espero que, no futuro, os nossos dois países possam cooperar em investimentos conjuntos em algumas indústrias primárias como a produção de sal, a agricultura e as indústrias pesqueiras", frisou.

Lu-Olo reiterou o compromisso de se concluírem as negociações sobre a fronteira terrestre entre os dois países - faltam apenas dois pequenos segmentos -, num processo que pode estar concluído ainda este ano.

"Falta iniciar a discussão sobre a fronteira marítima", recordou.

Noutro âmbito, Lu-Olo recordou que estão cerca de cinco mil estudantes timorenses a estudar na Indonésia e que Timor-Leste acolhe cerca de oito mil residentes indonésios.

A delegação de Timor-Leste inclui o ministro dos Negócios Estrangeiros, Dionisio Babo, e o chefe das Forças de Defesa de Timor-Leste (F-FDTL), Lere Anan Timur.

A delegação indonésia inclui Wiranto, ministro Coordenador de Assuntos Políticos, Legais e de Segurança, Darmin nasution, ministro Coordenador de Assuntos Económicos, Tjahjo Kumol, ministro da Administração Estatal, Retno Marsudi, ministro Negócios Estrangeiros.

Muhammad Nasir, ministro de Investigação, Tecnologia e Ensino Superior e ainda Basuki Hadimuljono, ministro de Obras Públicas e Habitação.

Recorde-se que a Indonésia ocupou Timor-LKeste entre 1975 e 1999.

Lusa

  • Drone norte-americano abatido no Irão
    1:22
  • Brincar ao ar livre como remédio natural
    0:21