Mundo

Rebeldes sírios anunciam regresso às negociações com os russos

Os rebeldes sírios no sul da Líbia anunciaram esta quinta-feira que vão regressar à mesa das negociações com os russos, aliados do regime de Damasco, após terem registado novos recuos militares nos setores que controlam na província de Deraa.

"As conversações vão ser retomadas", declarou à agência France-Presse (AFP) Hussein Abazeed, um porta-voz dos rebeldes, enquanto o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH) indicou que os ataques aéreos e terrestres do regime sírio e do aliado russo foram interrompidos após 24 horas de bombardeamentos e na sequência do colapso da ronda de negociações na tarde de quarta-feira.

Em paralelo, diversos membros do Conselho de Segurança das Nações Unidas tentavam fazer pressão sobre a Rússia para obter um acesso humanitário nesta região do sudoeste da Síria.

Na sequência de uma reunião de emergência convocada pelo Koweit e a Suécia, presidente em exercício em julho do Conselho de Segurança, foi solicitado às partes em conflito "a intensificarem os esforços para permitir o acesso ao sudoeste sírio dos comboios humanitários provenientes da Jordânia", indicou o embaixador sueco Olof Skoog.

A Suécia e o Koweit solicitaram o fim dos bombardeamentos, a proteção dos civis e o envio de ajuda humanitária, tinha antes anunciado na Suécia Annika Söder, uma responsável do Ministério dos Negócios Estrangeiros.

Lusa

  • Governo sírio apela aos refugiados para que regressem

    Mundo

    O Governo sírio apelou aos muitos milhares de refugiados que regressem ao país, alegando que os rebeldes, que apelida de "terroristas", foram expulsos de vastas áreas do território, informou agência Associated Press. O apelo feito através dos media oficiais parece refletir a crescente confiança e otimismo do governo síro volvidos sete anos de conflito armado, em que mais de 5,6 milhões de sírios abandonaram o país.