Mundo

Países com mais mulheres na política têm menos corrupção

Charles Platiaun/Reuters

Um estudo que envolveu 125 países concluiu que aqueles em que mais mulheres participam no governo a corrupção é menor. E o mesmo acontece no poder local onde a probabilidade de subornos é menor nas regiões com maior representação de mulheres.

"As mulheres têm um impacto sobre a corrupção porque geralmente escolhem temas políticos diferentes dos homens", declarou um dos autores do estudo, Sudipta Sarangi, professor e responsável pelo departamento de Economia da Universidade Virginia Tech. "As mulheres que estão na política escolhem temas mais ligados ao bem-estar de mulheres, crianças e família".

Os autores do estudo (.pdf) publicado no Journal of Economic Behavior & Organization sublinham que não significa que as mulheres sejam mais dignas de confiança que os homens ou que aceitem menos subornos. Também não siginifica que sejam melhores políticas que os homens.

É na formulação de novas políticas geralmente descuradas pelos homens que as mulheres podem ter um impacto sobre a corrupção.

A investigação de Sudipta Sarangi e Chandan Jha é das mais abrangentes sobre este assunto. Analisa também as implicações da presença de mulheres noutros cargos e noutras ocupações, desde a força de trabalho até cargos administrativos e de tomada de decisão, como CEO.

Quando é dada a oportunidade às mulheres de alterarem políticas, a corrupção tende a diminuir, avançam os investigadores.

O estudo sugere que é necessário promover a igualdade de género em geral e, em especial, promover a presença de mulheres na política. Vários estudos anteriores tinham já demonstrado que uma maior presença de mulheres na vida política também está associada a melhores resultados de educação e saúde.