Mundo

Governo afegão revê em baixa número de mortos em ataque a estudantes em Cabul

JAWAD JALALI

O Ministério da Saúde do Afeganistão reviu esta quinta-feira o balanço do atentado suicida de quarta-feira contra um centro educativo em Cabul para 34 mortos, em vez de 48, ataque que foi reivindicado pelo grupo extremista Daesh.

Um porta-voz do Ministério da Saúde afegão, Wahid Majroh, disse que o ataque ao centro fez também 56 feridos.

Segundo a polícia, um bombista-suicida entrou a pé no centro educativo, no último andar de um prédio num bairro xiita da zona oeste da capital afegã, e fez-se explodir junto de um grupo de rapazes e raparigas que estudavam para os exames de acesso à universidade.

O elevado número de vítimas obrigou a que fossem transportadas para vários hospitais da capital afegã, primeiro para os mais próximos do local mas depois, por falta de meios, para outros mais distantes, o que levou a que algumas vítimas fossem contabilizadas duas vezes, segundo as autoridades.

O ataque foi esta quinta-feira reivindicado pelo grupo extremista Daesh através de uma mensagem divulgada no site de propaganda do grupo jihadista, Amaq.

Na mensagem, o grupo afirma que o ataque foi perpetrado pelo "irmão mártir" Abdul Raouf al-Khorasani e matou ou feriu mais de 200 estudantes.

O ramo afegão e paquistanês do Daesh identifica-se como Estado Islâmico da Província de Khorasan, nome de uma região histórica que abrangia nomeadamente o nordeste do Irão, o sudeste do Turquemenistão e o norte do Afeganistão.

Com Lusa

  • Aldeia de Roberto Leal recebe notícia da morte com consternação
    2:02