Mundo

Presidente da Sérvia critica tratamento que lhe foi dispensado em Paris

ETIENNE LAURENT

O Presidente sérvio, Aleksandar Vucic, lamentou esta segunda-feira o tratamento que lhe foi reservado no domingo em Paris comparado com o de seu homólogo do Kosovo, no decurso das cerimónias do Armistício de 1918, relataram os media locais.

A imprensa sérvia publicou fotos mostrando Hashim Thaçi atrás do russo Vladimir Putin, do norte-americano Donald Trump, do francês Emmanuel Macron e da alemã Angela Merkel, enquanto Aleksandar Vucic foi instalado de frente, numa outra tribuna.

"Podem imaginar como me senti", declarou Aleksandar Vucic, explicando ter sentido "um nó na garganta", de acordo com as declarações reproduzidas pelos 'media' de Belgrado.

"Parece-me que olhei todo o tempo para o sol e o ecrã, não acreditando no que estava em vias de presenciar diante de mim e sabendo o sacrifício feito pelo povo sérvio na Primeira Guerra Mundial", disse.

Segundo os historiadores, a população da Sérvia foi a que registou, em proporção, o maior número de mortos no conflito. Cerca de três quartos dos homens incorporados no exército deste país dos Balcãs foram mortos ou feridos entre 1914 e 1918.

Algumas horas após as cerimónias em Paris, um monumento que simboliza a amizade entre a França e a Sérvia durante esse período foi vandalizado em Belgrado, referiu a agência noticiosa AFP. A inscrição "À França" foi coberta de tinta negra.

Aleksandar Vucic prometeu um acolhimento "grandioso" a Emmanuel Macron, anunciado pelos 'media' locais para o início de dezembro. "Vou convidar milhares de pessoas para o saudar, mostrar-lhe o que é a hospitalidade sérvia e como encaramos a amizade", disse.

Após 20 anos da guerra entre as forças sérvias e os separatistas armados albaneses do Kosovo (1998-99, mais de 13.000 mortos), e uma década após a proclamação pelo Kosovo da sua independência, as relações entre Belgrado e Pristina permanecem muito tensas, como ficou patente no encontro da semana passada em Bruxelas, o primeiro desde julho, entre Vucic e Thaçi.

Esta segunda-feira, o líder kosovar difundiu na rede social Twitter fotos em que está acompanhado por Vladimir Putin, explicando que em Paris abordou com o Presidente russo o diálogo com a Sérvia.

"O Presidente russo foi claro (...): 'Se vós [Sérvia e Kosovo] alcançarem um acordo pacífico, a Rússia vai apoiá-lo'", escreveu Thaçi.

A Sérvia, apoiada pela Rússia e China, não reconhece a independência da sua antiga província do sul, com maioria de população albanesa mas onde ainda permanecem, segundo as estimativas, cerca de 120.000 sérvios. O Kosovo reivindica o reconhecimento da independência por 115 países, incluindo as principais potências ocidentais.

Lusa