Mundo

Arábia Saudita doa 50 milhões de dólares a agência da ONU para refugiados palestinianos

Funcionários palestinianos da United Nations Relief and Works Agency (UNRWA).

Ibraheem Abu Mustafa

A Arábia Saudita vai doar 50 milhões de dólares (44 milhões de euros) à agência da ONU para os refugiados palestinos, que enfrenta dificuldades financeiras desde o fim da ajuda norte-americana anunciada em agosto pela administração de Donald Trump.

O anúncio desta doação à Unrwa foi feito em Riade por Abdallah al-Rabiah, que administra o Centro de Ajuda Humanitária King Salman, numa conferência de imprensa em que estava presente o chefe daquela agência da ONU (Unrwa), Pierre Krähenbühl.

Esta contribuição tinha sido pré-anunciada em 19 de novembro pelo próprio Krähenbühl, que explicou que a Arábia Saudita, os Emirados Árabes Unidos, o Kuwait e o Qatar se comprometeram a doar cada um 50 milhões de dólares à Unrwa.

Na altura, o responsável disse que a Unrwa conseguiu reduzir o seu défice orçamental em várias dezenas de milhões de euros graças às contribuições da União Europeia e dos Estados do Golfo, apesar do fim do financiamento dos EUA.

"Vocês estão cientes de quão difícil este ano foi para a Unrwa, especialmente após a decisão inesperada dos Estados Unidos de cortar o orçamento (da agência) em 300 milhões de dólares (265 milhões de euros)", afirmou.

EUA criticam o funcionamento das operações da Unrwa

No início de 2018, a Unrwa tinha um défice de 446 milhões de dólares (390 milhões de euros), afirmou, acrescentando que os cortes americanos agravaram ainda mais a situação.

"Depois de todos os esforços, toda a mobilização durante o ano (...), reduzimos o défice (...) para 21 milhões de dólares" (18 milhões de euros), disse Krähenbühl. "É um resultado muito encorajador", acrescentou.

A contribuição de 200 milhões de dólares (175 milhões de euros) desses quatro países representa "quase a metade do total arrecadado este ano", indicou Krähenbühl.

Os Estados Unidos, tradicionalmente o maior contribuidor da Unrwa, anunciaram em agosto a suspensão de todo o financiamento.

A administração Trump critica a maneira como a agência da ONU opera e calcula o número de refugiados palestinianos e denuncia a natureza "tendenciosa" das atividades da Unrwa.

Os EUA também decidiram cancelar mais de 200 milhões de dólares (176 milhões de euros) de ajuda à Cisjordânia ocupada e à Faixa de Gaza, um valor próximo do total de fundos inicialmente destinados aos palestinianos para o ano fiscal de 2018.

A Unrwa presta assistência aos palestinianos - e seus descendentes - que foram expulsos de suas casas ou que fugiram na guerra de 1948, na criação de Israel.

Israel e os EUA opõem-se à capacidade dos palestinianos transferirem o estatuto de refugiado para os seus filhos, querendo reduzir o número de pessoas que recebem a ajuda da Unrwa, uma situação que os palestinianos denunciam como uma violação dos seus direitos.

Com Lusa

  • ONU apela a doações depois após corte no financiamento dos EUA
    1:47

    Mundo

    A Alemanha anunciou mais mil milhões de euros de ajuda humanitária para a Síria e para os refugiados na região. Já a União Europeia confirmou 560 milhões de euros para o próximo ano de 2019. À procura de mais financiamento está também a agência das Nações Unidas para assistência aos refugiados palestinianos que sofreu um corte drástico de 300 milhões de euros dos EUA devido ao conflito com Israel. À SIC subcomissário da ONU, Pierre Krahenbuhl, renovou o alerta também para Portugal.

  • Minutos salva-vidas
    20:48