Mundo

Hong Kong recusa visto a músico e deputado pró-independência de Taiwan

Bobby Yip

Hong Kong alegou falta de "competências e conhecimento" para trabalhar na região.

Hong Kong recusou o visto de trabalho a um músico e deputado pró-independência de Taiwan, convidado a atuar num festival de música no território, alegando falta de "competências e conhecimento" para trabalhar na região.

De acordo com o jornal South China Morning Post, Freddy Lim Tshiong-tso devia ter atuado com a sua banda de 'heavy metal' no festival "On the Pulse of Music", no domingo, mas as autoridades de imigração rejeitaram o visto do também deputado a favor da independência da ilha.

"De acordo com a política existente, uma pessoa que pretenda candidatar-se a um emprego [em Hong Kong] deve, entre outras coisas, possuir uma competência, conhecimentos ou experiência especiais de valor" para a região, justificaram as autoridades, segundo uma carta divulgada na rede social Facebook.

O cantor e ativista brincou na resposta, afirmando que os estrangeiros devem praticar invisibilidade e outros "super poderes" antes de solicitarem um visto de trabalho para Hong Kong.

Pequim considera a ilha, onde se refugiaram as tropas nacionalistas depois de serem derrotadas pelas forças comunistas, em 1949, uma província da China contra a qual já ameaçou usar a força Taiwan declarar independência.

Em outubro, a região administrativa especial chinesa foi alvo de críticas internacionais por ter recusado renovar o visto de trabalho de um jornalista do Financial Times, mas defendeu-se categoricamente.

"Nenhum país estrangeiro tem o direito de interferir nas decisões tomadas pelo Governo da Região Administrativa Especial de Hong Kong sobre questões de vistos", afirmaram as autoridades, citadas pela agência de notícias estatal Xinhua.

Lusa

  • Minutos salva-vidas
    20:48