Mundo

Califórnia declarou estado de emergência devido ao perigo de incêndios florestais

Elijah Nouvelage

Serão desenvolvidos trabalhos de limpeza de floresta em áreas críticas.

O governador da Califórnia, nos Estados Unidos, declarou esta sexta-feira o estado de emergência devido às condições de "perigo extremo" de incêndios florestais, de modo a tentar evitar que se repitam os fogos mortais dos últimos dois anos.

"O crescente risco de incêndios florestais que enfrentamos como Estado significa que, simplesmente, não podemos esperar até que um incêndio comece para iniciar a disponibilização de recursos de emergência", referiu o governador Gavin Newsom, em comunicado.

O governador salientou que a Califórnia necessita de um "foco contínuo e uma ação imediata" para garantir a proteção do Estado, que nos últimos dois anos sofreu dos piores incêndios da sua história, que causaram mais de 120 mortos.

De acordo com a Comissão de Seguros do Estado, os incêndios florestais de 2018 foram os "mais mortais e mais caros da história" e representaram um desembolso de cerca de dez mil milhões de dólares para as seguradoras.

Devido a esta declaração de emergência, serão desenvolvidos trabalhos em 365 quilómetros quadrados que foram identificados pelo Departamento Florestal e de Proteção contra Incêndios da Califórnia (Cal Fire) como "áreas críticas para proteção contra ameaças de incêndios".

As ações incluem trabalhos para reduzir a densidade de algumas florestas e a remoção de ervas secas e outros materiais de fácil combustão.

É esperado que estes projetos melhorem a proteção de cerca de 200 comunidades no Estado norte-americano, pois é estimado que 2,2 milhões de residências estejam em "alto ou muito alto risco de incêndio".

Lusa