Mundo

Netanyahu encurta visita aos EUA e promete resposta forte ao ataque de Gaza

AMIR COHEN / POOL

"Um ataque criminoso foi cometido contra o Estado de Israel e nós responderemos com força", sublinhou o primeiro-ministro israelita.

O primeiro-ministro israelita decidiu encurtar a visita aos Estados Unidos e prometeu responder “com força” ao ataque proveniente da Faixa de Gaza esta manhã, do qual resultaram sete feridos.

"Decidi, à luz dos eventos de segurança, encurtar a minha visita aos EUA”, disse Benjamin Netanyahu, acrescentando que vai encontrar-se com o Presidente norte-americano, Donald Trump, “daqui a poucas horas” e que voltará logo de seguida a Israel “para dirigir as operações”.

Benjamin Netanyahu chegou no domingo a Washington para participar na conferência anual do lóbi pró-judaico American Israel Public Affairs Committee (AIPAC), que decorre até terça-feira.

De acordo com a polícia local, um morteiro atingiu uma casa na comunidade de Mishmeret, a norte da cidade de Kfar Saba, provocando um incêndio e destruindo a habitação. Sete pessoas ficaram feridas, a maioria com ferimentos ligeiros, segundo o último balanço das autoridades.

As sirenes de ataque aéreo acordaram esta manhã os moradores da área residencial de Sharon, seguindo-se o som de uma explosão, noticiou a AP. Pouco depois, os militares israelitas disseram ter identificado a origem do ataque a partir do enclave.

O ataque, que não foi ainda reivindicado, aconteceu uma semana depois do exército israelita ter atacado uma centena de alvos do movimento radical palestiniano Hamas, na Faixa de Gaza, em resposta a disparos de granadas de morteiro provenientes do enclave palestiniano em direção a Telavive.

Ao mesmo tempo, surge num momento sensível para ambos os lados: Israel é palco de eleições nacionais, em menos de um mês. Em Gaza, o Hamas, que controla o território, tem sido alvo de críticas públicas devido às condições ali vividas.

Lusa