Mundo

Organizações internacionais denunciam violações e torturas sexuais aos migrantes

Os migrantes são vítimas de violações e torturas sexuais principalmente na Líbia.

Os migrantes que tentam chegar à Europa enfrentam violações e torturas sexuais ao longo da viagem, particularmente nos centros de detenção na Líbia, de acordo com um estudo hoje divulgado pelo Conselho de Refugiados para Mulheres.

O estudo baseou-se em entrevistas a trabalhadores humanitários e migrantes e conclui que, ao longo da jornada destinada ao continente europeu, os migrantes - homens, mulheres e crianças - são torturados por contrabandistas que filmam as violações para posteriormente pedir dinheiro às famílias pelo resgate.

O relatório surge num momento em que a Europa bloqueou salvamentos de migrantes no mar.

A guarda costeira da Líbia, financiada pela Europa, detém os barcos de migrantes e leva os refugiados para centros de detenção onde, de acordo com as testemunhas, recomeçam os abusos e torturas sexuais.

Várias organizações internacionais, incluindo o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados, condenam regularmente os maus tratos a que são submetidos os migrantes na Líbia, o principal ponto de partida em direção à Europa depois do encerramento da rota dos Balcãs e do Mar Egeu.

Lusa

  • Depressão é a doença mental mais frequente no país e afeta cerca de 400 mil portugueses
    3:23
  • Carro de Santana Lopes não tinha seguro?
    1:44