Mundo

Detidos dois proprietários de prédio que se incendiou no Bangladesh

Mohammad Ponir Hossain / Reuters

Fogo no prédio de 19 andares fez 26 mortos e 73 feridos.

Dois proprietários do prédio em Daca que se incendiou na quinta-feira, em que 26 pessoas morreram e 73 ficaram feridas, foram detidos pela polícia após se descobrir que o edifício não tinha saídas de emergência, divulgaram hoje as autoridades.

Um dos proprietários do edifício localizado na área exclusiva de Banani, Tasvir Ul Islam, foi detido às 22:45 de sábado (hora local, 16:45 de sábado em Lisboa), enquanto S.M.H.I. Faruque foi preso por volta das 01:30 de hoje (hora local, 19:30 de sábado em Lisboa), disse o detetive Mashiur Rahman, chefe da polícia de Daca, à agência de notícias EFE.

"O edifício tinha falhas de engenharia e havia algumas áreas ilegais. Também não tinha medidas de segurança contra incêndio. Os proprietários foram acusados de negligência e indiferença, que resultou em tantas mortes", disse Rahman.

O chefe de polícia disse que também está a ser procurado o construtor do prédio, que é o terceiro acusado neste caso.

No sábado, o número de mortos subiu para 26 após o falecimento de um homem gravemente ferido que estava internado no hospital militar, referiu Gulshan Ara, um porta-voz da esquadra de Banani.

O incêndio ocorreu na quinta-feira num dos primeiros andares, propagando-se para os andares superiores do prédio, localizado numa área comercial da capital. Muitas pessoas ficaram presas durante o incêndio, porque o prédio não tinha portas de emergência.

As autoridades do Bangladesh prometeram reprimir as violações de segurança nos edifícios e o Governo classificou as mortes como "assassínios".

Segundo dados do Corpo de Bombeiros do Bangladesh, entre 2004 e 2018, cerca de 1.970 pessoas morreram no país nos 89.923 incêndios registados naquele período.

Este mês, outras nove pessoas perderam a vida num incêndio num bairro de Chittagong, no sul do país.

Lusa