Mundo

Ex-diretor dos serviços secretos de Chávez usou nome de Mourinho para entrar em Espanha

Fernando Llano

Hugo Carvajal foi detido pela polícia espanhola na sequência de um mandado de extradição emitido pelos EUA.

O ex-diretor dos serviços secretos militares venezuelanos e homem de confiança do antigo Presidente Hugo Chávez, o major Hugo Carvajal, foi detido em Madrid, na casa do filho, com um passaporte com o nome de José Mourinho.

Hugo Carvajal foi detido pela polícia espanhola na sequência de um mandado de extradição emitido pelos Estados Unidos da América, por narcotráfico e branqueamento de capitais.

Segundo o jornal a Marca, o major entrou em Madrid em março com um passaporte venezuelano com o nome de José Mourinho, o treinador português. Foi aberta uma investigação paralela para apurar se o passaporte foi falsificado ou pertence a outra pessoa.

Uma das figuras mais influentes da hierarquia militar venezuelana, Hugo Carvajal manifestou apoio ao opositor Juan Guaidó e apelou aos militares para que voltassem costas ao Governo do Presidente Nicolás Maduro. Mais tarde, foi um dos 13 oficiais que foram expulsos das Forças Armadas Bolivarianas da Venezuela por um decreto assinado por Maduro.

No passado, foi indiciado por acusações relacionadas ao tráfico de drogas nos estados norte-americanos da Florida e de Nova Iorque. Segundo a Lusa, em 2014, o militar escapou à extradição para os Estados Unidos da América, depois de ter sido detido por um curto período de tempo em Aruba, onde era cônsul da Venezuela.

  • Via Sacra – Episódio 2
    26:42