Mundo

Bolsonaro assina decreto que extingue horário de verão no Brasil

JOEDSON ALVES

Decisão baseada na poupança energética e no relógio biológico.

O Brasil extinguiu esta quinta-feira a adoção do horário de verão, num decreto assinado pelo Presidente Jair Bolsonaro, em Brasília, tendo a decisão sido baseada na poupança energética e no relógio biológico da população brasileira.

"As conclusões foram coincidentes. Na questão de economia, (...) não tinha mais razão de ser [permanência do horário de verão] , não se poupava mais energia. E, na área de saúde, mesmo sendo uma hora apenas, mexia com o relógio biológico das pessoas", afirmou Bolsonaro, numa cerimónia no Palácio do Planalto, transmitida na rede pública de televisão.

O Presidente brasileiro disse que foram elaborados estudos que corroboraram a sua opinião acerca da extinção do horário de verão no país sul-americano, já a partir deste ano.

"Procurámos aqui o nosso ministro das Minas e Energia, almirante Bento, e ele fez um estudo, na parte técnica desse sentido. Procurámos também a área da Saúde, para ver até que ponto isso [mudança da hora] alterava o relógio biológico das pessoas", reforçou Jai Bolsonaro.

No início do mês, o porta-voz da Presidência da República, Otávio Rêgo Barros, informou que o Ministério de Minas e Energia tinha realizado um estudo, segundo o qual 53% dos entrevistados pediram o fim do horário de verão.

O fim do horário de verão chegou a ser avaliado em 2017 pelo Governo do ex-presidente Michel Temer, quando o Ministério de Minas e Energia brasileiro anunciou que a poupança de energia tinha diminuído de 405 milhões de reais (cerca de 93 milhões de euros) para 159 milhões de reais (36,5 milhões de euros).

O motivo da descida na poupança de energia foi a mudança no perfil do seu uso, sendo que os picos de consumo estavam nas horas mais quentes do dia, devido à utilização do ar condicionado.

O horário de verão foi aplicado no Brasil em 1931 com o intuito de economizar energia, a partir do aproveitamento de luz solar no período mais quente do ano. Desde então, tem-se mantido.

Geralmente, o horário de verão no país sul-americano ocorre entre outubro e fevereiro, quando os relógios devem ser adiantados uma hora, e vigora nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e no Distrito Federal.

Em 2018, o início de vigência do horário de verão teve de ser alterado para não coincidir com a data das eleições presidenciais.

Lusa