Mundo

Condenada a 18 meses de prisão mulher acusada de ser agente russa nos EUA

Handout .

Maria Butina está presa desde que foi detida em julho de 2018.

A jovem russa Maria Butina, detida nos Estados Unidos em julho e acusada de ser uma agente secreta para o Kremlin, foi esta sexta-feira condenada a 18 meses de prisão.

Maria Butina está presa desde que foi detida em julho do ano passado e a sua pena será reduzida devido ao tempo que já passou na prisão.

Após cumprir a pena, Butina será deportada, decidiu ainda a juíza Tanya Chutkan, que disse que a sentença tem em conta a gravidade do crime e tem como objetivo a dissuasão.

A 13 de dezembro, Butina, de 30 anos, declarou-se culpada de conspiração num tribunal federal em Washington, após um acordo com o ministério público. Maria Butina, uma ativista pró-direito às armas, admitiu ter tentado infiltrar-se na National Rifle Association e ter fornecido informações secretas sobre políticos norte-americanos a um responsável governamental russo.

O caso deu uma ideia de como Moscovo tenta influenciar a política norte-americana, mas não está relacionado com a investigação sobre a conspiração russa nas presidenciais de 2016 dirigida pelo procurador especial Robert Mueller.

Lusa

  • Os populismos crescentes "não são apenas um problema europeu"
    2:01
  • “Vamos a Jogo” acompanhou Luís Filipe Vieira no dia da reconquista
    15:21
  • Visíveis - Ruca
    31:30