Mundo

Exército da Nigéria resgata 54 pessoas ao Boko Haram

(Arquivo)

Joe Penney

O Exército nigeriano destruiu dois veículos e várias casas pertencentes aos jihadistas.

Um total de 54 pessoas, entre as quais 29 mulheres e 25 crianças mantidas pelo grupo jihadista Boko Haram, foram libertadas no sábado numa operação militar no estado de Borno, no nordeste da Nigéria, anunciou esta segunda-feira o Exército nigeriano.

Os soldados do exército lançaram a operação nas cidades de Ma'allasuwa e Yaga-Munye, segundo o porta-voz militar, coronel Sagir Musa, mas não chegou a haver "confronto com os terroristas porque eles fugiram antes de as tropas chegarem, deixando para trás as 54 vítimas supostamente raptadas".

Entre estas, "29 são mulheres adultas e 25 são crianças de várias idades e sexo. Todas foram resgatadas", acrescentou o porta-voz militar.

Numa outra operação em várias cidades do mesmo estado, o Exército nigeriano destruiu dois veículos e várias casas pertencentes aos jihadistas.

O nordeste da Nigéria vive há anos mergulhado em violência devido às ações do Boko Haram, que desde 2009 tem lutado para impor um Estado islâmico na Nigéria, um país de maioria muçulmana no norte e predominantemente cristão no sul.

Desde então, mais de 20 mil pessoas morreram e o número de deslocados é quase de dois milhões, segundo as Nações Unidas.

O rapto é uma prática habitual dos jihadistas. A 14 de abril, assinalou-se o quinto aniversário do sequestro por este grupo de 276 meninas de uma escola secundária na cidade de Chibok (Borno), das quais 112 ainda estão desaparecidas.

Uma força multinacional conjunta formada pela Nigéria, Níger, Camarões e Chade tem enfraquecido a insurgência do Boko Haram, que também ataca estes países vizinhos da Nigéria, embora os jihadistas continuem a lançar ataques indiscriminados.

Lusa

  • Votar? É mais praia...
    2:43

    Europeias 2019

    Em dia de eleições e calor intenso, a praia da região urbana de Carcavelos esteve muito concorrida, com os respetivos engarrafamentos na Avenida Marginal na ida e no regresso. E com os depoimentos dos veraneantes a merecer reflexão.